quinta-feira, 30 de junho de 2011

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON


Alta Roda nº 635 — Fernando Calmon — 28/7/11



JOGO PARA A TORCIDA



Não se pode mais afirmar que os defensores do carro elétrico no Brasil estão numa crise de apatia. Até pouco tempo só havia manifestações isoladas, algumas iniciativas pontuais como o programa conjunto entre Fiat e Itaipu Binacional ou projetos individuais, a exemplo do engenheiro Elifas Gurgel, que promete kits elétricos com baterias convencionais por apenas R$ 13.000 (mais a mão de obra). Nos recentes salões internacionais de automóveis o assunto esteve onipresente e, portanto, não há como ignorá-lo dentro das nossas fronteiras.

A Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), fundada em 2006, tem feito uma crescente exposição de suas ideias e defende a adoção imediata dessa tecnologia no país. Dentro do entusiasmo que caracteriza um tema tão relevante, surgem alguns exageros. Chamar um híbrido de veículo elétrico híbrido mostra mais uma visão de marketing do que técnica, pois a tração puramente elétrica é apenas simbólica nessa tecnologia, considerando que o velho motor a combustão continua presente, garantindo desempenho e autonomia. Isso ocorre até no Chevrolet Volt, um híbrido em série plugável em tomada que estende sua autonomia para 500 km graças a um motor/gerador a gasolina.

Semana passada, a ABVE organizou em Brasília o Seminário Brasileiro sobre Tecnologias para Veículos Elétricos (TEC-VE 2011) com uma pauta extensa e interessante ao longo de dois dias. Foi o melhor fórum de discussões até hoje, incluindo conferencista do exterior, no caso o português Robert Stussi. Ford, Nissan, Renault, Mitsubishi e Iveco colocaram sua visão sobre os próximos passos para introdução dos elétricos ou mesmo híbridos no Brasil.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

TOYOTA: NOVA HILUX E SW4



Um facelift até 2014, quando muda tudo. Fala-se de novos motores: um V-6 2,7 flex de mais de 170 cv e um novo Diesel para bater de cara com o potente 3,2 Diesel da nova Ranger, que pode ter mais de 200 cv...


DE CARRO POR AÍ COM O NASSER


End eletrônico: edita@rnasser.com.br              Fax: (61)3225.5511
Coluna 2611  jun.29.2011

Grande Lindoia

O melhor encontro nacional de peças, automobilia, serviços e os muitos periféricos deste rico universo, voltou a ter edição na estância termal de Águas de Lindoia, SP. Incontável número de fornecedores em pequenas tendas, grandes comerciantes em espaços cada vez maiores, apresentação de veículos, como o Lobini Special White, pequena série branca, e do Americar Jaguar XK 120 Coupé, premiado como Destaque.

De automóveis, muitos, num leque de qualidades e pretensões. Da ilha de Rolls-Royces, e hots, streets, boas restaurações, outras nem tanto, caminhões enfeitados, a três exemplos especialmente atrativos: dois ingleses Allard, esportivos pós-guerra utilizando motores americanos; um Fiat-NSU, série fugaz do carro italiano montado na Alemanha; e um Kaiser Carabella, montagem argentina IKA pela IKA, a Willys-Overland de lá. Raros, valeram a festa.

A vocação de Lindoia e seu encontro estadual é o congraçamento pela feira de peças, a maior do país, onde o olho treinado pode achar uma grade de Nash 1952, ou o vendedor prometer encontrar o que não existe, como um prometido Manual de Proprietário de Puma 1975.

Temperatura agradável, fria nas extremidades do dia, quente na metade; incapacidade da estância em absorver os visitantes em estacionamento; alimentação; policiamento; hospedagem; preços inflados em homenagem à grande festa que espraia os visitantes de outros estados pelas cidades vizinhas, o Encontro de Lindoia é uma referência, e o espírito do evento supera os percalços.

Critérios flexíveis, julgamentos próprios, quantidade industrial de prêmios, teve pelo menos uma escolha incontroversa, a de Melhor Nacional, distinguindo o Furia GT, belo exemplar de carro entre meia dúzia de unidades para corridas, construção pelo mago Toni Bianco. Pertence ao advogado brasiliense Ton Vilas Boas que reúne invejável coleção de nacionais em inquestionada exação.

O Encontro Paulista mudou a data para envolver o feriado de Corpus Christi e se há ponto a melhorar é a falta de envolvimento da administração da cidade, que não retribui bons serviços aos visitantes que lhe provém o fim de semana com faturamento recorde.     
----------------------------                                                                 



     Furia GT, do brasiliense Ton Vilas Boas, nacional 1° colocado
-------------------------------------------------------------------------------
                             Para Registar
                  Qualificado grupo-tarefa de grande empresa
                 europeia está no Brasil olhando instalações e
                 números de concorrente igualmente poderosa.
                 Objetivo: aquisição ou fusão para ser a maior.
                 E mais não digo para não ser irresponsável.


Roda-a-Roda

De volta – Japonesa, a Mazda quer vender mais nos mercados em expansão e implanta fábrica no México, para 140 mil unidades/ano, fornecendo à América Latina. Já esteve no Brasil e saiu sem agradecer ou dar adeus.

Produtos – Mandará o hatch Mazda2 – motor 1.5, 16v. 100 cv - e 3, sedã e hatch pequeno-médio, motor 2.0 L4 ou V6 2.5, 148 e 167 cv. Todos com transmissão automática 5 velocidades.

Na prática – O Brasil deixa de ser produtor para ser juntador de peças importadas, e grande consumidor de veículos montados em outros países com o qual temos acordos de isenção alfandegária. Exportamos empregos. A falta de política setorial permite que hoje tenhamos marcas com intervenções industriais menores que do tempo anterior à implantação da indústria automobilística. Esta marcha à ré é suicida.

Exemplo – A Argentina, temendo o perigo, jogou duro e atraiu atividades industriais. No setor de motos, o de maior crescimento, exigiu 75% de nacionalização e estabeleceu regra que, a cada moto importada deve corresponder a produção de outra no país.

Expansão – Como plano Nissan Power 88 a empresa quer chegar a 8% das vendas e aumentar o lucro operacional para 8% até 2016. Na prática, um modelo novo a cada mês e meio, atingindo 66 veículos, cobrindo 92% de todos os mercados e segmentos. Aplicar-se-à aos carros elétricos e ao desenvolvimento dos mais baratos para mercados emergentes.

Aqui – Aqui, dos mais promissores do mundo, fará nova fábrica para 200 mil unidades/ano, revertendo a idéia de faze-los no México e exportando-os. Esta é a melhor parte do plano.

Grande – A Toyota apresentou reformulação sobre o picape Hi Lux e o SW4 no Salão de Melbourne, Austrália. Chamou-a Big Major Change pela ampla grade, faróis, parachoques, paralamas, painel traseiro e mudanças internas. Tudo para sobrevida ao modelo até a próxima geração em 2014.

Nem tanto – Aqui mudanças serão contidas e chegarão em outubro. Os produtos vendem bem, tem preços recordistas, dispensam investimentos.

Mais – Em janeiro, motor V6 flex, 2.7, 16 v, 158 cv, dito modelo FFV. Motor diesel pode ter aumento em potencia para ter o maior número da categoria, distanciando-se de Nissan Frontier e VW Amarok, com 163 cv.

Será ? – A chinesa MG Motors apresentou seu projeto para o Brasil. Amplo, veículos de preço próximo aos R$ 100 mil, anuncia vender 1,2 mil veículos em meio ano. Afirmativa temerária. Conhecida, referenciada, em 2.009 em meio ano a Audi vendeu 1.100.

Novidade – A Ford apresentará mudanças no Ford Ka no próximo mês, mas leitores da Coluna vêem-nas agora. Segue a assinatura estética familiar, lembra o Focus, e é o último trato antes da mudança do modelo.

---------------- 

                              Ford Ka (Brasil) 2012

---------------------------------

Nacional – Gaúcha, a FuelTech, venceu concorrência e fornecerá injeções eletrônicas para a Copa Montana. Um dos diferenciais é a capacidade de liberar potência extra para ultrapassagens e fornecimento imediato de dados à fornecedora de motores e à equipe.

Hermanos – 537.511 visitantes ao Salón del Automóvil em Buenos Aires exibe o superior interesse no tema. Tantos, que o governo pedia não ir de automóvel ou levar carrinhos de bebê. Aqui o pico das visitas pouco supera os 700 mil, proporcionalmente bem menor, comparadas populações, produção automobilística, frotas.

De volta – A Troller fez imagem disputando o Rallye Paris-Dakar. Foi a primeira empresa brasileira a desafiar a aventura de expressão mundial. Agora, comprada pela Ford, volta às competições no Rally dos Sertões – Goiânia, GO – Fortaleza, CE, 9 a 19 de agosto. Disputará com dois Troller na categoria Production T2, apoiando a equipe da Território Motorsport.

Concorso – Uma das atrações do grande fim de semana, chamado genericamente Pebble Beach, é o Concorso Italiano, mostra de automóveis, moda, design, gastronomia da Itália, 20 de agosto. Patrocínio óbvio da Fiat, sempre marcando espaço no mercado norte-americano, e agora da Maserati, apresentando o Gran Turismo Convertible Sport. Sua cor externa dá pretensões. É o Rosso Trionfale ...

Mais - 4.7L V8, 444 hp at 7,000 rpm, com novidades em redução de atrito em comando e tuchos, e um equipamento do Alfa 8C – a possibilidade de, através de um botão no painel, tirar a mordaça do escapamento, transformando miado em rugido.

Pebble – No programa da praia do cascalho, Monterey, California, o mais atrativo e diversificado do mundo antigomobilístico, rara barata: Mustang Shelby 500 de 1967, um dos 10 com ar condicionado de fábrica. Motor forte, o 428 Police Interceptor. Sem reserva. Ou seja, maior lance leva. Leilão da Russo & Steele, 18 a 20.agosto, Downtown Marriott

Ecologia – Um dos pioneiros em amenizar danos ambientais das competições, o piloto de rallies Klever Kolberg, sugeriu à organização estudo sobre o rastro de carbono, os danos ambientais das emissões dos motores, para compensá-las. Sua equipe, a Valtra Dakar Eco Team, utilizará água desmineralizada e pneus recapados Vipal.

Gente - Alan Mulally, presidente da Ford Motor Company, eleito Executivo de 2011.OOOO Escolha da revista americana “Executive”, aos 147 mil leitores da publicação.OOOO Mulally é estranho à indústria do automóvel, mas previu a crise norte-americana e convenceu os acionistas a se preparar. OOOO A Ford foi a única sobrevivente e sem socorro governamental. OOOO A GM se apequenou e a Chrysler agora é Fiat. OOOO Morasse na Bahia dele diriam ser “ o cão chupando manga verde “ ... OOOO Eric Boccia, 34, jornalista, promovido. OOOO Novo chefe de imprensa da Toyota.OOOO Jackson Schneider, 44, advogado, vice presidente da Mercedes, vôo alto.OOOO Desde dia 1º. é diretor da Embraer.OOOO


O jeito argentino de ser
O desencontro das trocas comerciais entre Argentina e Brasil, e a casuística paralela, com dúvidas de conteúdo, cobranças de emolumentos internos, com o troco nacional de suspender a renovação automática das licenças de importação, tiveram efeito positivo na Argentina: o país exigiu equilíbrio entre os dólares das importações e das exportações.
O jogo duro deu certo, e fabricantes e importadores assinaram termos de equilíbrio cambial, implementando nacionalização, fomentando exportações de itens inteiramente diversos do segmento de transporte, como frutas, óleo de soja, vinhos... Na prática os argentinos implementam a atividade industrial interna – ao contrário do Brasil.
Um quadro mostra o negócio assim:

<><><>  <><><><>   <>

Marca
Compromisso
Alfa Romeo

Assume um projeto de presença no mercado argentino Exportando US$ 11M.
 Chery

zerar o déficit de US$ 38M em 2010, fazer superávit de US$ 22M em 2012, fazendo exportações e aumentando  compras internas de  autopeças argentinas e uruguaias.
Fiat


investirá R$ 600M para fazer um novo modelo –  o Siena -, maquinário agrícola, duplicará exportações em 2012, gerará 3.400 empregos diretos e indiretos.
 

<><><>  <><><><>   <>

Ford


aumentará exportações em 70%; fará novos modelos; montará os motores diesel para picapes Ranger, fará maiores compras domésticas.
 GM

Reverterá déficit de US$ 500M; investirá US$ 200M, e criará 600 novos empregos;

Honda

substituirá importações de US$ 50M por investimento de US$ 3M, transferindo a produção de três modelos hoje brasileiros; elevará  nacionalização a 75%; exportará  moto peças para o Brasil e AL;
 Kia


situação idêntica à brasileira, com marca  representada e, no caso, zerar o déficit de US$ 35M, fazendo superávit de  US$ 2,3M em 2012.
Hyundai
zerar o déficit de US$ 91M, fazer superávit de US$ 55M, Exportar farinha de soja, biodiesel, vinho e milho; aplicação de US$ 8M no Centro Nacional de Peças 
Mercedes-Benz
voltará a produzir caminhões, fomentará exportações,  buscará superávit comercial de US$ 57M em 2012;
Porsche

importará em 2011 valor de US$ 8M – 100 veículos- e compensará exportando vinhos e azeites;
PSA


Peugeot e Citroën ampliarão em US$ 600M exportações  de veículos para AL e peças para Brasil e França;
Volkswagen

compensará o déficit de US$ 816M com superávit de  US$  538M com aumento e exportações do Amarok

OS MILHÕES CAEM DO CÉU...

 O POUSO MAIS POLÊMICO DA AVIAÇÃO DE CAÇA MUNDIAL - 1983




O avião caça britânico Harrier é famoso por sua capacidade de decolar e pousar verticalmente, o que reduz custos pela diminuição de tamanho dos porta-aviões e da logística envolvida. Veja uma operação bem sucedida de pouso de um Sea Harrier num cruzador britânico.

A capacidade de pousar verticalmente impediu que este jato caísse no mar e nos proporcionou o pouso mais bizarro da aviação de caça. Em 1983, um cargueiro espanhol carregado de contêineres navegava tranquilamente na costa de Portugal a caminho da cidade de Tenerife nas ilhas Canárias, quando recebeu uma visita inesperada vinda do céu.

Ora, havia um exercício militar da Otan naquela área e o jato que você verá na bizarra posição abaixo decolou do cruzador inglês HMS Illustrious. Soube-se mais tarde que o subtenente de 25 anos que pilotava o avião não tinha completado o número de horas necessárias para fazer o tipo de operação que estava sendo proposto naquela manobra militar. Tratava-se de voar por um período às cegas, com rádio e radar desligados.

XI Rally Internacio​nal Classic Car Club - RS

LINDOIA: O OLHAR MÁGICO DE PAULO KELLER



A MUSICA DE FUNDO É DO GRANDE K... MUITO BEM ESCOLHIDA...

EXPOCLASSIC 2011: 15 A 17 DE JUHO EM NEU HAMBURG...

O SITE DA REUNIÃO, A MAIOR DE CLÁSSICOS EM ESPAÇO COBERTO NA AMERICA LATINA. CREIAIM, É IMPERDÍVEL, EMBORA ACONTEÇA NA SIBÉRIA...SÓ GAUCHO PRA ATURAR O FRIO, E ATÉ ELES BOTAM UMA CAMISA...     www.expoclassic.com.br



terça-feira, 28 de junho de 2011

STOL: DECOLAGEM E POUSO EM 15 METROS...

HOMEM QUE É HOMEM NÃO TIRA O PÉ....

Mesmo beirando a perda total da cueca...o Focus do Mestre Finlandês  Mikko Hirvonen e seu copiloto Jarmo Lehtinen recupera tração no último segundo e sai da saia justíssima...coisas de rali de velocidade, onde os homens de verdade se encontram mesmo...não é essa frescura de F-1 controladinha e asséptica.... Preste atenção na parte de câmera lenta.

LINDOIA 2011: THE TRUCKS...

GMC 950 1951
Tradicionalmente, Lindoia tem uma participação pesada de caminhões dos grandes colecionadores de São Paulo e outros lugares. Ali são expostos também os ônibus recém-chegados como o segundo GM Coach PD 4104, igual aos da Viação Cometa dos anos 50. Esses ônibus, os mais modernos do seu tempo com até ar- condicionado, foram todos escrapeados pela Viação Cometa com exceção de dois, preservados como monumentos à história do transporte de passageiros no Brasil. 

Pena que não saiam da garagem em hipótese alguma e não deliciem os  passantes com sua imponência e o belo e inconfundível som do motor Detroit Diesel de dois tempos. Foi exposto um inacreditável Peterbilt onde o que não era cromado era aluminio polido; o mais recente membro da coleção de carros de Bombeiros de Edson Garzon; um Dodge 1947; um belo Fenemê; e dois Chevrolet Brasil, além  de um Mercedes-Benz 312 no off Lindoia, as ruas nos arredores do evento que hospedam coisas do arco da velha...

FORD F8 V-8 1952
O PETERBILT CROMADO E POLIDO

LINDOIA: MAIS FOTOS DO MERCEDES VENCEDOR

O Best of Show, grande vencedor de Lindoia, foi um belíssimo Mercedes-Benz 320 Mannheim Roadster 1938. É o único exemplar remanescente deste modelo no mundo, conforme atesta o Mercedes Classic Center. Este 320 foi mandado pelo Governo do III Reich para o presidente do Banco Alemão Transatlântico no Brasil em 1938 como uma amostra da tecnologia existente na Alemanha do final dos anos 30. Seu principal detalhe técnico é a suspensão traseira independente, como a dianteira,  no estilo de semieixos oscilantes, semelhante ao Sedan VW. Isso lhe dava mais conforto e aderência em relação aos eixos rígidos vigentes na época. Aqui sobreviveu às agruras da  II Guerra em bom estado até ser achado por colecionadores nos anos 70 e ser restaurado na Magneto. O  detalhe interessante é que a fábrica de Sindelfingen era uma espécie de AMG pré-guerra, onde eram concebidos e executados os projetos especiais, diferentes do comum de linha de produção. Hoje em dia mora em uma grande coleção próxima a Lindoia, um dos grandes Centros Históricos Antigomobilistas em formação no Estado de São Paulo, como o Museu JORM na cidade de São Paulo.





segunda-feira, 27 de junho de 2011

O VENCEDOR DE LINDOIA 2011: MERCEDES 320 1938



Começamos nossa cobertura de Lindoia 2011 pelo vencedor: um raríssimo Mercedes-Benz 320 Mannheim 1938 - Karrosserie Sindelfingen, de fábrica -  o último remanescente no mundo com esse estilo, fato atestado pelo Mercedes-Benz Classic Center. 

Fique claro que  essa matéria aqui é só o começo, pois vou, quando menos cansado amanhã da viagem, postar um texto só sobre esse carro. Por enquanto só duas fotos como appetizer do que vem nos próximos dias, com os carros mais interessantes da mostra paulista. Lembrem, aqui o negócio é qualidade e não quantidade. também não resisto ao Kaiser Carabella 1958 na última foto de hoje, o primeiro carro argentino a ser exibido e premiado em um Encontro Master Brasileiro, além de muitos outros carros bons. Enjoy!



IKA Kaiser Carabella 1958



sexta-feira, 24 de junho de 2011

UM HOT DIFERENTE: SLANT SIX MOPAR

Corre uma lenda urbana pelas esquinas decadentes de Detroit a respeito de um misterioso V-12 que a Chrysler teria projetado nos anos 60 para fazer frente aos novos e maiores V-8 da GM e da Ford. A desistência já com o ferramental pronto levou Highland Park a aproveitar metade do projeto ao fazer um seis em linha de 3,7 litros, metade do V-12...assim reza lenda. 

Este T Bucket sai do comum dos hot rods americanos, pois reproduz um hot dos anos 50 em tudo, embora seja bem recente sua construção. O Slant Six, ou Seis Inclinado, saiu de um Dodge Dart igual ao brasileiro. Nos Estados Unidos esse motor era o básico de linha, mas como se prestava muito a venenos, foi produzido muito equipamento para ele no mercado americano e na Argentina, onde foi muito fabricado. Lá existiram versões com Quadrijet de até 225 cv de fábrica. Este aqui tem uma tripla Weber 40, um comandinho mais quente e um coletor de escapemento equalizado 6x2. A caixa manual é um T-5 de Mustang e o diferencial é um Dana com Positraction. Um belo carro!


JUAN MANUEL FANGIO: 100 ANOS


"EL CHUECO", um apelido dado em sua cidade, Balcarce, por causa de suas pernas arqueadas como as de Mané Garrincha, correu muito nas estradas de terra argentinas dos anos 30 e 40. Sempre duro, mecânico de profissão, ele teve logo depois da guerra uma cupecita Chevrolet comprada por uma "vaquinha" do povo de Balcarce. 

Mecânico habilidoso, sabia extrair os ultimos cavalos do lento motor Chevrolet e fez seu nome junto ao povo platino. Em 1947, Perón o mandou para a Europa com patrocínio oficial. Ele começou tarde, com 36 anos, mas rapidamente mostrou as habilidades únicas para o esporte  motor e as pistas.

La cupecita Chevrolet 1941 Ciudad de Balcarce

quinta-feira, 23 de junho de 2011

ONTEM FOI DIA DO VOLKSWAGEN

MINHA HOMENAGEM À FUSQUETTA EM UMA OBRA DE MAURICIO DE MORAIS, O INCONSCIENTE COLETIVO DE MILHÕES DE BRASILEIROS...QUEM COM MAIS DE 40 ANOS OU ATÉ MENOS NÃO TEVE UM?


ALTA RODA COM FERNANDO CALMON





Alta Roda nº 634 — Fernando Calmon — 21/6/11



OPORTUNIDADES PERDIDAS



Apesar dos percalços, o mercado argentino se integra cada vez mais ao brasileiro e vice-versa. Bom exemplo é o Salão do Automóvel de Buenos Aires. Teve início modesto em 1998 e apenas cinco edições entremeadas pelas crises econômicas no país vizinho que atingiram sua indústria automobilística. Desde 2005 passou a ser organizado nos anos ímpares e assim se intercalar com o Salão de São Paulo, nos anos pares.

A exposição bienal em 2011, de 17 a 26 deste mês, tem público previsto em torno de 500.000 pessoas, segundo os organizadores. Proporcionalmente ao tamanho dos mercados surpreende, pois com toda a tradição é difícil São Paulo atrair mais de 600.000 a 700.000 visitantes.

Essa edição do salão portenho apresenta grandes novidades para os dois mercados. Os fabricantes aproveitaram o bom momento para antecipar o que chega nos próximos meses. Entre as surpresas o Chevrolet Cobalt, novo sedã compacto desenvolvido na Coreia do Sul com participação brasileira. Embora apresentado como carro-conceito e superequipado, está pronto para o lançamento nesse segundo semestre, sucedendo o Corsa sedã. A nova picape S10 surgiu disfarçada como Colorado (nome nos EUA) na versão Rally. Retirados os pesados adereços, é o mesmo produto que será lançado aqui logo no início de 2012.

OS LOTUS ARGENTINOS NA PISTA, NO GÁLVEZ...


Saiu no Retrovisiones: uma homenagem aos carros de corrida esporte-protótipos e outros, construidos na Argentina. Ah, se fosse assim por estas bandas. Veja a matéria completa no SITE . Acima, os Lotus argentinos e abaixo, um Cobra Biscayne e um Maserati Monofaro, ambos feitos em San Torcuato. Que tesão de pista que os caras têm!!!!! Que carros legais!!!

A GRANDE ARTE DE WALTER RÖHRL: PORSCHE 904 GTS

Um dos carros mais belos que já acelerou em uma pista de corridas, aqui magistralmente executado por um Campeão....este vídeo beira o erótico, meninos e  meninas!

MAIS UMA MOTO DO FUTURO: MONOTRACER


Fabricada na Suiça, a Monotracer tem uma parte traseira completa de BMW 1200 de quatro cilindros e motor deitado. São 117 cv e 12 kgmf de torque para 485 kg, 28 km/litro, balança Monolever e frente Marzocchi de 50 mm de diâmetro. A fábrica afirma 250 km/h de final e zero a cem km/h em 4,8 segundos, graças à boa aerodinâmica da carroceria totalmente fechada em forma de gota que lembra as motos de corrida dos anos 50, com suas carenagens do tipo dustbin, ou lata de lixo...



O MUSEU HENRY FORD EM DEARBORN




Mostrando uma rara consciência histórica do papel do veículo automóvel para o qual inventou a fábrica moderna, a Ford Motor Company e seu fundador Henry Ford estimularam e apoiaram a construção de um museu em sua cidade-sede, Dearborn, Michigan. Nele existem carros de todas as marcas imagináveis, do MG TC ao  carro Chrysler Turbine. É um painel completo dessa indústria que mudou a vida do Ser Humano no final do século 19 e começo do 20. Um santuário imperdível.

O primeiro carro de Henry, o QUADRICYCLE



DE CARRO POR AÍ COM O NASSER

End eletrônico: edita@rnasser.com.br              Fax: (61)3225.5511
Coluna 2511  jun.22.2011

De Buenos Aires, as novidades para o Brasil
O Salão do Automóvel de Buenos Aires, encerrando-se neste domingo, acertou seu alvo depois de tentativas e da falha, por ausência, há dois anos: secunda o Brasil em importância nas Américas Latina e do Sul. E o fato de, sendo mercado menor – 600.000 unidades x 3.500.000/ano brasileiras – realça o apresentar das estrelas em nosso perímetro.
Foco preciso, os argentinos receberam as atrações em ano de não realização da mostra paulista, e o fizeram com os principais picapes do mercado nacional: Ford Ranger; GM Colorado; versão cabine simples, opção motor a gasolina, e cabine dupla enfeitada para o VW Amarok; e novos picape Dodge Ram. Em automóveis, manteve a colocação, ao exibir, em primeira mão, o Chevrolet Cobalt, a ser feito no Brasil ainda este ano para substituir os cansados, porém lucrativos Astra, e seu derivado Vastra – também dito Vectra.

FORD KA ATUALIZADO EM ESTILO

A mecânica é idêntica, bem como os nímeros de desempenho.

A nova frente com outra grade e faróis foi alinhada ao estilo Ford atual, sem maiores modificações no produto só brasileiro.

DUCATI 350 DESMO


O motor grego....

Nos anos 70 eu ia a Sampa e tinha que comparecer ao Vaticano, a Boca Maldita do Motociclismo ali pela Av. Rio Branco. Naquela zona se misturavam mocinhas carentes e motocicletas eróticas....um cheiro de Castrol R no ar como se fossem as emanações de uma fêmea no cio, de vez em quando um motor revoltado pegava e urrava seu grito de revolta contra o estabelecimento, ou  tudo que se chamava de moral e cívica nesses tempos de democradura...



terça-feira, 21 de junho de 2011

HUSQVARNA 900 STREET BY JLV

A primeira Husqvarna de rua



A Husqvarna sueca, provavelmente a fabricante de motos off-road mais conhecida do planeta, mostrou em desenhos a primeira moto de rua que vai produzir e comercializar em sua história: a 900 street, naked, bicilíndrica, desenvolvida em colaboração com sua proprietária, a BMW.



A 900 tem linhas minimalistas, tanque pequeno, traseira aerodinâmica e as cores familiares de algumas das melhores enduro e supermotos – vermelha, preta e branca.


Aparentemente a potência é de ao redor de 95 cv, o torque de cerca de 10 kgfm já em giros muito baixos

A moto será lançada no Salão EICMA de Milão, em novembro. A KTM e a Ducati devem estar preocupadas.

LINDOIA COMEÇA QUINTA-FEIRA!

LOTUS SEVEN R300 SUPERLIGHT EM NÜRBURGRING...


 Se  algum dia houve uma verdadeira cadeira elétrica sobre quatro rodas, a definição de manual é o Lotus Seven.  Agora é conhecido como Caterham Seven por causa da empresa que comprou de Colin Chappman os direitos de fabricação. Resumindo aquilo que o FG chamaria da A BAGAÇA, são 175 cv a 7.000 rpm e 20 kgmf a 6.000 vindos de um Duratec Ford dois-litros enfurecido, acicatando 515 kg... São um pouco menos de TRÊS kg por cv, mais exatamente 2,95... Seis marchas curtas: repare no video que a barata chega em sexta ao limite de giros a 225 por hora, zero a cem vai em 4,5 segundos. Coisa de moto grande...