quinta-feira, 17 de abril de 2014

PARA ENLOUQUECER SEU FILHO...

BIG MUSCLE: PONTIAC CATALINA SAFARI 1964














Esta Egrégia Editoria sempre gostou de camionetes, o termo galicista usado em lugar do pejorativo "perua" aplicado naquela estranha cidade do Sul do Brasil, como diria o Veríssimo. Esta é uma das mais legais que já vi, isso por muitas coisas: o período do estilo limpo Bill Mitchell do começo dos anos 60, a cor  verde primorosamente bem escolhida, o volante esporte GM com aro de madeira (trouxe um para a Mahavan II), as rodas e a mecânica. Ex carro de polícia - ainda tem até a sirene - ela calça um Big Block V8 389 ou 6.4 litros com 550 CV, acoplado a um cambio automático Hydramatic com alavanca no piso. A suspensão, como se vê, controla muito bem, levemente rebaixada. os 2.300 kg da barca. O problema é frear sem servo assistência de um hidro vácuo. É freio pra perna de homem e forte.. Mas ficou uma obra de arte,. ranto que eu teria facilmente com servo freio em cima dos quatro discos e ar condicionado.

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER

                                      
Coluna1614 16.abr.2014                                            edita@rnasser.com.br        
Sem crise, a Nissan chega
Pode parecer curioso, em meio a queda de vendas e de atividade industrial, estoques ultrapassando as cercas, Nissan inaugure complexo industrial, incluindo fábrica de automóveis, de motores, e condomínio de fornecedores de peças. É de se entender. Decisões para tais investimentos, no caso R$ 2,6B, dados foram considerados há vários anos. E, após deflagrado o processo, não se interrompe, mesmo com mudanças nas condições externas, como ora no mercado doméstico.
Instalação considera o país como quarto produtor, quinto ou sexto mercado, e promissora usina de lucros, para o projeto da Aliança Renault-Nissan vender mais de 50% fora de suas bases de origem.
A pretensão com a Nissan é conseguir 5% nas vendas domésticas, e a capacidade produtiva, quando alcançada, será de 200 mil veículos/ano e idêntico volume para motores. É fábrica completa: estampa, solda, arma, faz motores, injeta plástico, monta e audita tudo. E terá pista de testes, melhor declaração de interesse. Hoje, acredite, apenas duas montadoras as possuem, Ford e GM.
O que
Fica em Resende, RJ, beiradas da Via Dutra, a 150 km do Rio, a 250 de S Paulo e, até pouco tempo, suas referências eram ser a cidade perto de Penedo e Mauá, destinos turísticos de final de semana; era incluir o Pico – depois descuidada Reserva Natural do Itatiaia –; ser sede da Academia Militar de Agulhas Negras. A instalação da VW Caminhões, hoje MAN, e da Peugeot-Citroën nas beiradas mudou tudo, levou o lado ruim do capitalismo, e Resende é apenas uma cidade com bom recolhimento tributário e todas as mazelas da rápida mudança de status.
Automóvel para abrir o negócio, o New March – New por um tapa no estilo frontal do conhecido modelo hoje em últimas unidades mexicanas. Final do ano, o Versa, sedã quatro portas sobre a mesma plataforma. De motor, 1.6, 16V, flex – Nissan e não Renault como o atualmente produzido pela associada no Paraná.
Fábrica de automóveis são basicamente iguais. A diferença está no conteúdo, e a Nissan quer fazer assim: as pessoas farão as diferenças, em especial pelo entusiasmo. Presenciei cena interessante durante visita em fevereiro. Wesley Custódio, diretor de produção, explicava o diferencial de criatividade do operário brasileiro, exemplificando um dos 300 que realizaram cursos de integração ao produto e processos fora do Brasil. Indicou, o operário brasileiro substituíra a ajuda de três colegas na função de prender o tanque do March à plataforma, desenvolvendo pequeno braço elevador elétrico. Alça a peça e o funcionário Bruno Tavares, faz a fixação. E chama: “- Ô Paulão, vem cá.“ Dito Paulão é Paulo Cunha, engenheiro, gerente de produção. Foi, simulou como seria e saudou o obreiro.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A HORA FINAL DO OPALA


Faz, hoje, exatamente 22 anos que o último Opala saiu da linha de montagem.
São as rodas inexoráveis do progresso esmagando nossos corações nostálgicos de um carro que lembrava de melhores tempos.
Essa data, 16 de abril de 1992, é de triste memória para nós, Opaleiros.

terça-feira, 15 de abril de 2014

ATENÇÃO: DOMINGO NÃO TEM MUSEU!

Nesse próximo domingo, 19 DE ABRIL,que é o terceiro domingo do mês, 
NÃO HAVERÁ O ENCONTRO DO MUSEU DO EXÉRCITO, 
por estar encravado em feriados.
No próximo mês, no dia 18 de maio, volta a acontecer aquele que é um dos melhores encontros mensais do RJ.

COISAS DE REDNECK...


UNS MOTORES PEQUENOS DETROIT DIESEL DE TRATOR USADOS COM PERVERSÃO, AO MENOS EM UM DOS CASOS, O DE BAIXO. COISAS DELICADAS DE MAIS DE 850 CV...

OT FORD BIMOTOR

Double Trouble, uma dupla de V8 Ford modular de 4,6 litros com QUATRO compressores mecânicos para uma potencia1.200 CV. A traseira é a de um antigo Jaguar XJ6. Um Hot Wheels que anda e uma obraprima de engenharia!