quarta-feira, 27 de junho de 2012

HOJE É DIA DE MÚSICA!

A Orquestra sinfônica de Sabadell tocando a Nona de Beethoven na rua, para o povo. Isso me comove.


As vozes da Mãe Rússia: o belo Coral do Exército:

terça-feira, 26 de junho de 2012

OS 21 ANOS DA VITORIA DA MAZDA EM LE MANS

Eu sou um sujeito meio estranho mesmo: hoje me deu vontade de chorar quando soube que o motor Wankel acabou. Saiu de linha há dias atrás o ultimo Mazda com o incrível motor Rotativo do Dr Felix Wankel. Para lamentar isso vou postar por esses dias uma historia mais longa e técnica desse motor que, como diria Cazuza, ia revolucionar o mundo. Por enquanto um vídeo do grande K sobre a vitória na pista de Clermont ferrand há 21 anos, o unica desse motor. R.I.P.

MONOCICLOS: QUER SER DIFERENTE?

O RYNO: 40 KM DE AUTONOMIA E 25 KM/H:



OS DETALHES TÉCNICOS:

http://harryharrison.wordpress.com/2009/03/24/monocycles/

OUTROS MONOCICLOS:




UMA TRAPIZONGA ITALIANA DOS ANOS 50

segunda-feira, 25 de junho de 2012

SPEEDMASTERS NA TV!

Bob Sharp e Arnaldo Keller mancomunaram-se na calada da noite e perpetraram um novo programa de TV, a ser veiculado no Speed Channel, com o apoio luxuoso da Fram Filtros, uma empresa entusiasta que mantém sua pureza! Divirtam-se com tio Bob e Sô Quélis queimando o asfalto!

NOVA RANGER SAI NO FIM DA SEMANA

A nova Ranger mede 5.40 de comprimento, 1,85 de largura e 1,81 de altura. O entre eixos é de 3,22 e a caçamba da cabine simples tem 2,31  enquanto a de cabine dupla tem 1,55. 
Os motores são o nosso conhecido 2,5 a gasolina agora com 166 CV, mais dois Diesel agora de projeto Ford Duratorq Puma: um quatro cilindros de 125 CV e um CINCO cilindros de 200 CV/470 Nm e caixa de seis marchas. Esperemos em Deus que a nova Ranger seja mesmo uma revelação em termos de comportamento dinâmico, pois com essa cavalaria toda... Vais er a mais potente picape jamais feita nos tempos atuais, desde que a Dodge Dakota V8 subiu no telhado.
O lançamento pficial vai ser no sábado que vem: lá estaremos para algumas emoções provavelmente violentas...

MEGA ENCONTRO DE OPALA EM BH DIA 22/7


Gostaria de convidar para nos prestigiar no 3º Mega Encontro Mineiro de Opaleiros, que SE realizará dia 22/07/2012, na Av. nova da Mannesmann, esquina com Olinto Meireles, no Bairro Barreiro , Belo Horizonte/MG, de 10:00 ás 17:00 hs.

Este ano estamos com o apoio de 70 cidades mineiras, e temos a expectativa de conseguir  expor 1000 Opalas e Caravans. Fotos do 2º Mega Encontro Mineiro de Opaleiros em 2011 http://www.barreiroopalaclube.com.br/encontros/Flash01/index.html
Foram expostos 850 Opalas e Caravans, fora os carros antigos.

Roberto Machado 

LA COLLEZIONE MARIO RIGHINI





Após o fim da Segunda Guerra Mario Righini montou um gigantesco Ferro Velho, coisa que deu muita grana e, com isso, montou uma belíssima coleção de 350 carros, motos, caminhões, tratores e automobilia variada que lhe chegava às mãos e era preservado e muitas vezes restaurado. Como dá para imaginar, a Coleção é centrada na rica história do carro Italiano e da Alfa Romeo, mas não fica restrita à Península.
Para abrigar a Coleção Righini usou os dois estábulos de um castelo medieval perto de Modena, um Pré e outro Pós Guerra. Estas fotos dão uma pálida idéia do que tem lá dentro, coisas como o Auto Avio 815, o primeiro carro que il Commendatore fabricou com dois motores de Fiat depois de sair da Alfa Romeo, anda sem poder usar seu nome nos carros por razões contratuais. 
É dificil absorver tudo em um só dia, pois é uma multidãode coisas boas que não acaba mais, a mais pratica noção de Céu na Terra. Mas não pense que isso é um amontoado de anões de Jardim, pois a grande maioria está em condições de uso: gasolina, bateria e vamos à Mille Miglia, por exemplo?



O NOVO CLASSE A MERCEDES BENZ


O novo compacto Mercedes é bem diferente do anterior, sendo 6 cm mais longo e uum cm mais alto que o Auidi A3, seu principal inimigo. Os motores a gasolina são dosi, ambos turbinados: um 1,6 e um 2,0 litros, ambos de quatro cilindros, transversais de tração dianteira. O primeiro irá no modelo de entrada, o A180 com 121 CV, enquanto o A 200 terá 154 CV e oA 250 terá 208 CV. Mais tarde haverá uma versão AMG com mais de 300 CV e tração na quatro rodas. As caixas de cambio serão manual de seis marchas e uma automatizada de dupla embreagem e sete marchas. Todos os motores tem um sistema de Stop Start e mais todos as assistências eletrônicas que estão no vídeo. Quem te viu e quem te vê...

domingo, 24 de junho de 2012

FANGIO: 101 ANOS HOJE

DUPLA LANDSBERG VENCE AS MIL MILHAS HISTÓRICAS DE 2012!



Fiquei feliz hoje, porque meus amigos Lady Rachel e Gilbert Ladsberg venceram as Mil Milhas em seu Jaguar Mk II: nothing so British! Desta vez a sortenão sorriu para Rogerio Franz, grnade competidor e vencedor de muitos rallyes e o bom Julio Berriel chegou muito bem de Mercedes 350 SL, além de Emilio Losada com sua Corvette. A seguir o Release do Otazú, como sempre muito bom. Enjoy!


Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras: Sucesso na chegada em São Paulo
Evento terminou domingo no Shopping Iguatemi, depois de quatro dias em que 50 carros históricos percorreram 1.619 km por São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, conduzidos por pilotos do calibre de Nelson Piquet e Roberto Moreno, empresários e colecionadores.
Foram quatro dias pegando chuva, frio e calor pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Mas praticamente todos os 50 carros antigos fabricados entre 1919 e 1980, participantes do II Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras receberam a bandeirada de chegada no Shopping Iguatemi (SP), na tarde de domingo (24/6), depois de 1.619 km de disputas por estradas históricas.

"Novamente o sucesso foi total. Tanto que já estamos pensando no próximo, que deverá ser ainda melhor. Só tenho que agradecer a todos os participantes, principalmente ao envolvimento e prestígio de meus ídolos Nelson Piquet e Roberto Moreno, e aos meus companheiros de clube", comemora Luis Cezar Ramos Pereira, presidente do MG Club do Brasil, promotor e organizador do evento. 
BERRIEL
No quarto e último dia (domingo) de competição o rallye que tem a chancela da FIA-Historic (Federação Internacional de Automobilismo) e homologação da FIVA (Federação Internacional de Veículos Antigos) partiu de Campos do Jordão (SP) e depois de 195 km de prova chegou no Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi.

No terceiro e penúltimo dia (sábado) da competição a vitória ficou novamente com a dupla mista Gilbert Landsberg e sua esposa Maria Landsberg, o que coloca os cariocas como grandes favoritos à vitória.

"Achei este rallye de regularidade ótimo, passando por estradas e paisagens lindas. No ano passado só fizemos Turismo e agora competimos. Foi muita adrenalina e as oportunidades de erros são enormes. O mais legal é que só vamos saber quem venceu à noite. Até lá, mais ansiedade", comentou o piloto do Jaguar MK2 1962, vice-presidente de petrolífera. 



Vencedores no ano passado, os gaúchos Rogério Franz e Mário Nardi (Triumph TR4) novamente brigaram pela vitória, mas não contavam com alguns pequenos problemas mecânicos que atrapalharam. "Já foi uma vitória chegarmos ao fim do rallye. Passamos por lugares maravilhosos que não conhecíamos, mas tivemos alguns probleminhas e dificilmente venceremos. Mas valeu muito à pena", afirmou Franz.

Nelson Piquet (Jaguar E-Type 1972), que participou com a sua esposa Viviane, e Roberto Pupo Moreno (Alfa Romeo GTV 2000 1974), ex-piloto de Fórmula 1 e Fórmula Indy, gostaram da aventura. "Adorei e se me convidarem no ano que vem, voltarei novamente", disse o tricampeão de Fórmula 1, que comemorou a vitória de seu filho na Nascar no hotel em Campos do Jordão, no penúltimo dia da competição. "Gostei muito desta nova experiência. No próximo ano quero vir para disputar mesmo, para terminar entre os primeiros", assegura Moreno, que teve sua filha como navegadora e mais jovem (17 anos) concorrente.

O resultado final da 2ª edição do Rallye Internacional Mil Milhas Brasileiras será divulgado na noite de domingo, após toda a apuração técnica.

Confira os 10 primeiros no 3º e penúltimo dia do II RALLYE INTERNACIONAL MIL MILHAS BRASILEIRAS

1) 9 GILBERT LANDSBERG/ MARIA LANDSBERG, JAGUAR MK2
2) 12 CHRISTIAN DE REY/FREDERICO, CORVETTE
3) 41 EMILIO LOSADA/GLICIA LOSADA, CORVETTE
4) 10 ROGERIO FRANZ/MARIO NARDI, TRIUMPH TR4
5) 36 JULIO BERRIEL/JOAO BOSCO, MERCEDES-BENZ 350
6) 27 ANTONIO CHAMBEL F./NEY FONSECA, MERCEDES-BENZ 280
7) 13 DIEGO INZAURRAGA/HENRIQUE MENDONCA, FIAT 1500 BERLINA
8) 44 OSCAR VILA ESPEJO/CECILIA KONDO, RENAULT ALPINE A110
9) 42 GUILHERME MARX/FRANCO FUNK, PORSCHE CARRERA EU
10) 40 ILVO PATAT/LEONARDO PATAT, ALFA ROMEO SPIDER

Visite www.1000milhashistoricas.blogspot.com

THE DEUCE OF SPADES COMPLETO..

Um filme totalmente feito por uma mulher, a bela moça que o conduz com seu próprio nome, Faith Granger: ela dirige, produz, filma, ilumina, faz a musica e escolhe os carros e o som, que não podia ser mais autêntico: os Ford Flathead soam como Ford Flatehead, e os Oldsmobile V8 também. Tem uma parte meio melosa, mas são duas horas de filme de autoentusiasta para autoentusiasta. Veja em tela cheia. Descobri no Jalopnik, thks!

FERRARI & ASTON MARTIN...

DUAS MERCEDES BARATINHAS...

Esta semana vão a leilão duas Mercedes Benz raras, originais e valiosas: uma 540K da Baronesa Von Krieger e uma S Type de 1928, dentro da mesma familia desde nova.
A Baronesa Von Krieger vivia no Jet Set da capital alemã até que a guerra foi declarada. Como membro da Aristocracia Russa que vivia em Berlin desde a revolução de Outubro, 

Gisela resolveu que os ares de Berlim não estavam saudáveis e embarcou com sua 540 no Queen Mary e foi viver nos EUa, onde morreu em 1986 ainda com os resquícios da incrível beleza que levou um casadoiro refitado a se jogar de um avião... Ela morreu solitária e recolhida em Greenqich, Connecticut e o carro, guardado há uns 50 anos mas perfeito, foi vendido a um colecionador que lhe deu uma restauração simpática e agora resolveu vende-la.Mais detalhes em http://www.goodingco.com/



Já a outra, a S   Type, pertenceu à mesma família e foi preservada na garagem da mansão da familia desde os anos 50. Também é um modelo comprimido mecânico. Chama-se 26/120/180, 

respectivamente sua potencia fiscal e as desenvolvidas realmente sem e com compressor acionado, pois estes carros só usavam as delícias da aspiração forçada no fim do curso do acelerador, quando o vasto Kompresor emitia um gemido gutural ao pressurizar o ar. 
O modelo foi apresentado em Nurburgring em 1927, onde venceu sua primeira corrida nas mãos hábeis de Rudolf Caracciola, para grande orgulho de Ferdinand Porsche, seu designer, na época trabalhando na Mercedes. AQ carroceria deste modelo é feita em lona após a parede de fogo, permitindo um baixo peso, muito bem aliado ao feroz motor de SETE litros e seis cilindros. Dizem que é uma maravilha de dirigir, suave, precisa e potente. mais detalhes, se você estiver interessado:www.bonhams.com.




sábado, 23 de junho de 2012

AS ALFA ROMEO VILLA D´ESTE VOLTAM PRA CASA...

 No período entre guerras, os anos de ouro del Biscione D´Arese, o carro mais difundido foi sem duvida o modelo de seis cilindros em linha: os 6C, obra imortal de Vittorio Jano. Ainda fabricados da forma tradicional, onde o cahssi rodante era produzido pela Alfa e o dono escolhia a carroceria, o 6C teve sua produção até continuada durante a guerra, como atesta uma Cabriolet 1943 que tinha no numero do motor a cruz gamada e que foi exposta no Salão de Veículos antigos do ibirapuera em 1980 e pouco. Meninos, eu vi...

THE CANNONBALL MOTORCYCLE RUN






Todo mundo já ouviu falar da Cannonball Run para carros, mas poque limitar o prazer a quatro rodas?. E não é , porque os motocilclistas clássicos tem seu próprio evento a cada Setembro. Este video mostra o povo mais hardcore de todos, os que faazem o percurso de 5.320 km de costa a costa dos Estados Unidos em motos PRE 1916... Este é u trailer de um filme chamado "White Knuckle: the story of the motorcycle Cannonball" que sai em DVD a partir de 25 de Junho

sexta-feira, 22 de junho de 2012

UMA INGLESA VOADORA




Maureen Dunlop, inglesa nascida na Argentina, foi voar em outros céus recentemente. Nascida em 1920, aos 24 anos decidiu ir servir à Grã Bretanha voando, lá por 1942. Como nunca lhe permitiram combater, para seu grande desgosto foi transportar Spifires, Hurricanes e Lancasters da fabrica para as bases. Foi no final de uma desses voos do ATA, Aircraft Transport Auxiliary, que foi feita a bela foto ao lado, capa de muitas revistas.







ALTA RODA COM FERNANDO CALMON




Alta Roda nº 686 — Fernando Calmon — 19/6/12



ESPAÇO PRIORITÁRIO



Um dos maiores desafios que os fabricantes de veículos terão pela frente é encolher o tamanho externo dos carros, sem comprometer espaço e conforto internos. O objetivo de diminuir o consumo de combustível – e consequentemente emissões de CO2, um dos gases de efeito estufa – não pode depender exclusivamente de motores, transmissões e novos materiais leves. Economizar peso depende também de dimensões externas menores.
Essa batalha concentra-se especialmente nos EUA, onde há rigorosas metas compulsórias de economia de combustível em médio e longo prazos, e existe uma cultura de desperdício de espaço nos automóveis. Na realidade, essa é uma preocupação mundial porque rearranjar o habitáculo a fim de melhorar a vida a bordo está entre as prioridades de qualquer mercado. Mesmo naqueles onde carros menores são os preferidos por seu menor preço, como é o caso do Brasil e vários outros. Afinal, congestionamentos e escassez de lugares para estacionar são comuns.
Engenheiros, tanto de fabricantes como de fornecedores, terão que se aproximar de arquitetos de interiores ao criar futuros modelos. Especialistas ouvidos pela Automotive News indicam os caminhos traçados de forma geral: bancos mais finos; controles, comandos e botões menores na cabine; linhas do teto repensadas; motores e câmbios compactos que exigem menos volume sob o capô (de quebra adicionam espaço ao habitáculo); mudanças na arquitetura dos chassis para colocar eixos dianteiro e traseiro o máximo possível nas extremidades.
A questão não se resolve apenas reposicionando as colunas da carroceria para conseguir lugar extra para cabeças e pernas. As colunas precisam ser também mais finas sem perder resistência. Trata-se de uma luta por cada centímetro aqui ou acolá. Entre os exemplos estão o novo Beetle cujo desenho do teto foi “achatado”, juntamente com o maior entre-eixos, e o Toyota iQ, de apenas três metros de comprimento, que reposicionou desde o tanque de combustível até a caixa de direção, além de compactar o sistema de ar-condicionado.

Especialista em bancos, a francesa Faurecia admite que inspiração possa vir das cadeiras de escritório, compactas e confortáveis. Mas há dúvidas se os compradores aceitariam desenhos arrojados nos bancos dianteiros, que proporcionam ganho sensível de espaço para as pernas do passageiro atrás. Precisa combinar com quem senta na frente, também desejoso de conforto...
A empresa trabalha em uma nova geração de bancos prevista para estrear em 2014. Não terá estrutura convencional metálica e será fabricado em resina e termoplásticos, o que também diminuirá a massa do conjunto. A retirada das treliças de metal levará a menor necessidade de espuma para manter o nível ideal de maciez e conforto. O resultado aparece na forma de encostos bem mais finos e assentos que permitam espaço adicional para os pés de ocupantes do banco traseiro.
Se aplicada a nova tecnologia aos bancos dianteiros e traseiro, o ganho potencial de espaço longitudinal na cabine poderá chegar a 5 cm e, em alguns casos, a 7,5 cm. O melhor cenário a alcançar: diminuir o comprimento total do carro e aumentar o espaço para todos os ocupantes.

RODA VIVA

BMW à espera de definição sobre cotas de importação que a Abeiva negocia com o governo desde o ano passado. Se divulgadas no fim do mês, dentro do previsto para incentivar quem quer construir fábricas no Brasil, a marca alemã anunciará a unidade fabril em Santa Catarina até final de julho. Chances de produção aqui vão além de 80%, admite fonte da empresa.
VENDAS de importados continuam em queda acentuada, superior a 35% em relação ao mesmo período de 2011. A depressão se acentua porque era tempo de dólar barato e sem IPI adicional. Algumas revendas, especialmente de marcas chinesas, fecharam as portas. Consumidor também ficou cauteloso, menos propenso a aceitar marcas novas.
ITÁLIA, do dia para noite, subiu a taxação para carros com potência superior a 185 kW (252 cv), dentro da política de aumentar a carga fiscal sobre os mais ricos. Cada kW extra, mais imposto. No aspecto de surpresa, não muito diferente do Brasil. Mercado, já em queda, sofrerá ainda mais, em especial de marcas premium e suas redes de concessionárias.
PALIO Weekend 2013 recebeu retoques na parte frontal e melhorias internas. Duas chamam a atenção e antes eram motivos de queixas: bancos dianteiros apresentam outra estrutura, regulagem de altura facilitada e assentos com maior suporte para as coxas, além de bom apoio para pé esquerdo do motorista. Preços de R$ 41.490 (Attractive 1.4) a R$ 51.550 (Adventure 1.8).
PICAPE Strada também recebeu as mesmas modificações, assim como o Siena EL (inclusive friso cromado na grade inspirado no Fiat 500), substituto da versão Fire. Nos três modelos, ponto destoante é a protuberância, acima da tampa do porta-luvas, onde se aloja o sistema de bolsa inflável. A solução, apenas estética, parece perfeitamente dispensável.
____________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

quinta-feira, 21 de junho de 2012

E POR FALAR EM HOT ROD...

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER




 edita@rnasser.com.br             Fax: 55.61.3225.5511
Coluna 2512 20.junho.2012

O Alpine. De novo ?


Há veículos e tipos que ultrapassam o tempo, viram referência, ícones e pouco se dão aos passos empresariais que estragaram sua história. Alpine é um destas palavras mágicas. Na França relembra o pequeno carro local que vencia temporadas mundiais de rallye. No Brasil, associado ao Willys Interlagos, vencendo provas de velocidade.
Na França comemora-se o cinquentenário do surgimento do A 110 – sucessor do A 108 feito aqui. E a Renault, que comprou – e acabou com a marca – resolveu fazer carro conceito para instigar a memória, chamando-o Renault Alpine A 110-50. Poderes de montadora, fez carroceria em fibra de carbono, pintando-a com interpretação do Azul Alpine – matiz utilizada pela marca do azul designado à França para seus carros de corrida. Feito sob as ordens de Jean-Michel Jallinier, ex presidente da Renault no Brasil e agora chefiando a Renault Sport Technologies, aproveita a tecnologia desenvolvida no Mégane Trophy, e o designer Yann Jarsalle interpretou o desenho conceitual traçado por seu chefe, o holandês Laurens van den Acker, fundindo-a com ícones visuais do modelo original: os auxiliares faróis Cibié Oscar cravados na então original carroceria em fibra de vidro, as tomadas laterais criadas para refrigeração do motor e, no modelo atual, para motor e transmissão. Antes traseiro, como um motor de popa, agora entre eixos. O vidro traseiro, tridimensional como de origem, copia soluções italianas e permitem visualizar o motor. O design é explicado como simples, sensual e acolhedor.
Chassi tubular, aerodinâmica cuidada para aproveitar o fluxo de ar para dar maior estabilidade. Motor V6, 24 válvulas, coletor de admissão em carbono e cerca de 400 cv de potência, atracado a caixa de transmissão sequencial, semi automática, dois discos de embreagem, seis marchas. Freios a disco na 4 rodas, dianteiros 6 pistões, traseiros com quatro. Base assemelhada ao Mégane: 2.635 mm entre eixos, bitola dianteira 1.680 mm e traseira com 1.690mm, aros com rodas 21”, fixadas por cubo rápido – uma rosca central, amortecedores Sachs, tratamento de condução profissionalmente esportiva, sem ABS ou EBD para os freios. Gerenciamento eletrônico por caixa Magneti-Mareli. Talvez seja produzido dentro da nova postura da Renault de existir em quatro níveis. Este seria o esportivo.


Mazda: diesel em Le Mans by JLV




Mazda: diesel em Le Mans
A Mazda Motorsports anunciou que vai fornecer seu novo diesel ‘limpo’ para equipes que competirão em Le Mans no ano que vem na classe Le Mans Prototype dois (MLP2). A Mazda é até hoje a única fábrica asiática e ter vencido Le Mans, em 1991. Masahiro Moro, diretor executivo de vendas e marketing globais comenta que “A Mazda sempre seguiu a cultura de ‘nunca parar de desafiar’ – o espírito que nos levou a competir durante 18 anos em La Mans, até que triunfamos em 1991.

A primeira equipe já com carro praticamente quase pronto é a Dempsey Racing americana, do corredor e ator Patrick Dempsey. Patrick e um seu sócio, o também corredor Joe Foster, já competiram em Le Mans. Este ano competem no American Le Mans Series, nas classes Prototype Challenge (LMPC) e Prototype 2 (LMP2), preprando-se para Le Mans 2013. 

A versão do motor 2.2 que está em fim de desenvolvimento, a SLYACTIV-D, está pronta para a Classe GX de tecnologia avançada do campeonato Grand-AM americano. Jay Amestoy, vice-presidente da Mazda Motorsports, parte da Mazda North America (NMAO), diz que “Hoje reatamos nossa relação de amor com Le Mans e marcamos o início de um novo capítulo em competições automobilísticas para a Mazda. 

Nós já vencemos corridas internacionais com tecnologia rotativa em Le Mans, Daytona e Sebring e agora queremos voltar ao círculo dos vencedores com o que acreditamos seja o motor mais avançado e limpo, baseado em unidades de produção, que o esporte jamais viu.”

Os motores de competição SKYACTIV-D estão sendo desenvolvidos em conjunto pela Mazda Motor Corporation no Japão, pela Mazda North American Operations e pela SpeedSource Engineering baseada na Flórida. Os testes em dinamômetro dos protótipos já foram iniciados e os testes em pista estão marcados para o fim deste ano. 

HOT RODS EM LINDÓIA


Boa tarde a todos

Aqui está  o convite do 1º Encontro Paulista de Hots e Especiais que se realizará durante os dias 3, 4 e 5 de Agosto próximo, em Águas de Lindóia. Contamos com um maior número de colecionadores para conseguirmos o sucesso desejado. Qualquer dúvida, entrem em contato.
Um abraço, 

Edenise

19-9790-1910


quarta-feira, 20 de junho de 2012

TURBOS PRECISAM DE AMOR...

Dicas para preservar a vida útil do turbocompressor


É preciso dedicar especial atenção ao turbocompressor para manter a sua vida útil. Alguns hábitos ao ligar e desligar o veículo, bem como ao fazer a manutenção, podem preservar o componente.

Alguns cuidados podem preservar a vida útil do turbocompressor, componente responsável por aproveitar a energia dos gases de escapamento para comprimir o ar que será admitido pelo motor e, assim, aumentar a potência do carro. “O turbocompressor trabalha de forma independente do motor, com rotação diferenciada. Por isso, ao dar a partida no veículo é preciso deixá-lo em marcha lenta e somente quando a luz de óleo apagar é recomendado dar rotação ao motor”, afirmou Osvaldo Peres, chefe de oficina da Tietê Veículos. Desta maneira, a lubrificação percorre todo o motor e chega ao turbocompressor, que conta com rotação bem mais alta que o motor.


Ao chegar de uma viagem, é fundamental deixar o carro em marcha lenta de um a dois minutos para que a rotação do turbo alcance rotação mínima de trabalho, ou seja, marcha lenta do motor. “Quando o motorista dá carga no motor a rotação se eleva. Caso ocorra o desligamento do motor, a lubrificação do turbo é cortada imediatamente e, consequentemente, esse componente trabalha no seco, sem óleo”, advertiu. O óleo queima e fica um resíduo de carvão entupindo tudo...a catástrofe!

Existe uma bomba de óleo eletrica chamada PRE LUBER que ao ligar pressuriza todo o motor, diminuindo em 75% o desgaste do motor em si, além do turbo. Ela também mantém a pressão depois do desligamento, refrigerando e lubrificando todo o motor e o turbo até que tudo pare de girar, pois o turbo pode estar girando a 120.000 rpm e o motor em marcha lenta.


Ele também chama a atenção para a manutenção do turbocompressor. “Por trabalhar em alta rotação é muito sensível às impurezas. É muito importante que o operador utilize o óleo especificado pelo fabricante, bem como faça a troca no período recomendado para garantir óleo de qualidade, sem impurezas e livre de contaminações, mantendo a lubrificação adequada do turbo”, comenta o chefe da oficina. Peres ressalta também que é importante dar atenção especial ao filtro de ar do veículo, pois sua obstrução aumenta a depressão no sistema de alimentação, propiciando a passagem de óleo lubrificante pelo eixo do turbo.


No processo de lavagem do motor é preciso ter cautela. Há componentes nos motores eletrônicos, como os contatos elétricos que trabalham em baixa amperagem, que não podem correr risco de infiltração de água. Já a água fria em partes aquecidas, como o turbocompressor ou o bloco de motor, pode os trincar devido ao rápido resfriamento chamado choque térmico.

O POVO DA BITOLA ESTREITA


ELES SABEM BRINCAR... VEJA OS OUTROS VIDEOS NO FINAL.

terça-feira, 19 de junho de 2012

50 ANOS DE ALPINE POR JASON VOGEL

Francês volta correndo

Renault faz protótipo que relança a marca Alpine, fora de cena desde 1995

Legenda: A CARROCERIA básica veio do protótipo elétrico DeZir, de 2010. Para lembrar o Alpine A110 original, teve a frente modificada e ganhou entradas de ar laterais
Legenda: A MECÂNICA do protótipo Alpine A110-50 veio dos Mégane Trophy: chassi tubular com motor V6 central e tração traseira. É carro para pista, com interior espartano
Legenda: OBRA MÁXIMA de Jean Rédélé, o A110 original (1962-1977) foi o mais longevo e bem-sucedido dos Alpine. Na década de 70, brilhou nos ralis
---------------------------
Jason Vogel


Os franceses já fizeram esportivos que brigavam de igual para igual com os Porsche. Eram os carros da marca independente Alpine, que usavam mecânica Renault (no Brasil, foram fabricados com o nome Willys Interlagos).
Na década de 70, a Alpine foi incorporada pela Renault e viveu suas maiores glórias esportivas. Fez 1º, 2º e 3º lugares nos ralis de Monte-Carlo (em 1971 e 1973) e venceu as 24 Horas de Le Mans de 1978. Mas veio a decadência e, em 1995, a marca foi extinta.
Desde então, há especulações de que a Alpine voltará. Eis que, na sexta-feira passada, às vésperas do GP de Mônaco de F-1, a Renault apresentou um belo protótipo, exemplar único. Comemorava os 50 anos de lançamento do A110, o mais famoso dos Alpine.
Chamado de A110-50, o carro junta elementos que a Renault já tinha na prateleira. Sua carroceria veio do esportivo-conceito DeZir (elétrico apresentado em 2010).
A frente, contudo, ganhou detalhes que remetem ao A110 original: um friso central ladeado por dois ressaltos que lembram os faróis auxiliares dos anos 60 e 70. Cor? Azul metálico — o Bleu Alpine, por tradição.
Já a mecânica veio do carro de corrida Mégane Trophy. É um chassi tubular, com motor central instalado logo atrás do piloto.
E que motor! É um Nissan V6 de 3,5 litros, mexido para render 400cv. Traz a reboque câmbio de seis marchas, de dupla embreagem. Como no velho A110, a tração é traseira.
O melhor é que este protótipo de 880kg não é só para fazer bonito nos salões: em Mônaco andou forte, pilotado sem pena. Seu V6 gritou enlouquecido como os Fórmula-1.
Executivos da Renault dizem que a volta dos Alpine às lojas ainda está em estudos. E, se retornarem, certamente serão bem diferente do carro que vemos aqui, só para pista.


O ALPINE A110 ORIGINAL

FORMULA VEE: AS DATAS




A Fasp (Federação de Automobilismo de São Paulo) divulgou as datas das próximas etapas do Campeonato Paulista de Velocidade no Asfalto, que inclui o Campeonato Paulista de Formula Vee.

Confira as datas divulgadas:

7ª Etapa
Treinos livres somente na 2ª feira 30/07/2012
Treinos oficiais e prova de 03 a 05 de Agosto

8ª Etapa
Treinos livres dia 23/08/2012
Treinos oficiais e prova de 24 a 26 de Agosto

9ª Etapa
Treinos livres dia 20/12/2012
Treinos oficiais e prova de 21 a 23 de Dezembro

10ª Etapa
Treinos livres dia 17/01/2013
Treinos oficiais e prova de 18 a 20 de Janeiro 2013




segunda-feira, 18 de junho de 2012

AS 1000 MILHAS LARGAM NA QUINTA FEIRA!


52 duplas participarão do II Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras
Tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet, Roberto Pupo Moreno e Luiz Evandro ‘Águia", entre outros pilotos renomados, confirmaram inscrição para percorrerem 1.619 km em estradas históricas entre São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Já está tudo pronto. As inscrições se encerraram na última sexta-feira, o levantamento do roteiro já foi feito, o livro de bordo está pronto e agora só falta as 52 duplas inscritas no II Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras se reunirem na tarde (15h às 18h) de quarta-feira (20/6), no Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi, em São Paulo (SP), para a vistoria técnica e últimas instruções.

Entre os pilotos que confirmaram participação no maior rallye de regularidade de carros antigos do Brasil, destacam-se o Tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet, Roberto Pupo Moreno e Luiz Evandro ‘Águia", que partirão no dia seguinte (21/6), a partir das 7 horas, do mesmo Shopping Iguatemi para percorrerem 1.619 km em quatro dias, passando por estradas históricas entre São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.


"Estamos muito contentes com o número de adesões ao nosso evento. O MG Club tem a tradição de reunir um plantel de carros altamente restaurados e com ótima qualidade, bem acima da média de outros rallyes feitos no Brasil. Mais uma vez vamos honrar a chancela e inscrição no calendário internacional da FIA-Historic (Federação Internacional de Automobilismo) e homologação da FIVA (Federação Internacional de Veículos Antigos)", comenta Luis Cezar Ramos Pereira, piloto de rallye e diretor da prova. 
ROTEIRO

A 2ª edição do Rallye Internacional 1000 Milhas Históricas Brasileiras vai revisitar algumas das mais famosas estradas da história brasileira, como a Estrada dos Tropeiros, e parte do Caminho Novo e do Caminho Velho Real. No primeiro dia (21/6) os 52 concorrentes percorrerão cerca de 400 quilômetros utilizando carros clássicos fabricados entre 1919 e 1980. Partirão do Shopping Iguatemi (SP) e seguirão pelas Rodovias Ayrton Senna e Dutra até Taubaté (SP), e depois pela Oswaldo Cruz e Rio-Santos, onde param em Paraty e a tarde prosseguem até Angra dos Reis (RJ).

Na sexta-feira (22/6) serão 504 quilômetros, voltando pela Rodovia Rio-Santos, pegam a subida da serra para Lídice, seguem pela Estrada dos Tropeiros, passando por dentro das cidades de Bananal e Queluz, a subida da Serra de Itamonte (ao lado do Pico das Agulhas Negras), almoçando em Itamonte e abastecendo na cidade de Itajubá, descida da serra de Passa Quatro (Itanhandu-Cruzeiro) e subida da serra de Cruzeiro, passando dentro de Piquete, e pela Rodovia BR 383 até Caxambu (MG).
O terceiro dia (sábado - 23/6) marca o retorno, com um percurso de 463 quilômetros saindo de Caxambu, indo em direção a Cambuquira, passando dentro de Três Corações e Varginha, seguem para Boa Esperança e Campos Gerais (atravessa parte da represa de Furnas), entram em Alfenas, continuam para Paraguaçu e Machado, entram em Pouso Alegre, e seguem em direção a Cachoeira de Minas, São Bento do Sapucaí (sobe a serra da Pedra do Baú), até chegar em Campos do Jordão (SP).

Ainda no sábado haverá uma etapa noturna, com 90 quilômetros e cerca de três horas de duração. Os concorrentes saem de Campos do Jordão, descem a serra da Pedra do Baú até São Bento do Sapucaí, Sapucaí Mirim e sobem a serra antiga de Campos do Jordão, até a estância paulista.

No quarto e último dia, os competidores saem de Campos do Jordão e depois de descerem a serra seguem pelas Rodovias Dutra e Ayrton Senna até entrarem em São Paulo, completando 165 quilômetros, para receberem a bandeirada de chegada no Shopping Iguatemi.

No ano passado a prova foi vencida pela dupla Rogério Franz e Mário Nardi, com Triumph TR4 (1962), seguidos da Mercedes-Benz 500SL (1980), de Henrique Thielmann e Lucas Larivoir, e de Julio Berriel e Vera Nonaka com Mercedes-Benz 350SL (1973).

PROGRAMAÇÃO

20 de junho (quarta-feira) - Concentração dos participantes
15h00 às 18h00 - Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi - São Paulo (SP)
17h00 - Coquetel para participantes e imprensa - Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi

21 de junho (quinta-feira) - 400 km - 9 horas prova
07h00 - Largada do primeiro veículo - Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi 
+ 6:30 hs - Almoço - Marina Porto Imperial - Paraty (RJ)
+ 9:00 hs - Parque Fechado - Hospedagem Hotel Serenar - Angra dos Reis (RJ) 
20h30 - 21h30 - Publicação do Resultado Parcial

22 de junho (sexta-feira) - 504 Km - 11:30hs de prova
07h00 - Largada do primeiro veículo - Angra dos Reis
+ 4:40 hs - Almoço - Hotel São Gotardo (Garganta do Registro) - Itamonte (MG)
+ 8:50 hs - Abastecimento em Itajubá (MG)
+ 11:30 - Parque Fechado - Hotel Gloria - Caxambu (MG)
20h30 - 21h30 - Publicação do Resultado Parcial

23 de junho (sábado) - 463 Km - 8:30hs de prova
08h00 - Largada do primeiro veículo - Caxambu
+ 3:30 hs - Almoço Chão Mineiro ( próximo a Fama, 38 kms de Alfenas (MG) 
+ 8:30 hs - Parque Fechado - Hotel Blue Mountain - Campos do Jordão (SP)

(Segunda Parte - Prova Noturna) - 90 Km - 3 horas de prova
18h00 - Largada do primeiro veículo - Campos do Jordão
Não haverá publicação do Resultado.

24 de junho (domingo) - 195 Km - 3 horas de prova
10h00 - Largada do primeiro veículo - Campos do Jordão (SP)
13h00 - Chegada do primeiro veículo - Estacionamento Boulevard do Shopping Iguatemi - São Paulo (SP)
20h00 - Premiação - Avenida Higienópolis, 18 - São Paulo (SP)

 www.1000milhashistoricas.blogspot.com

LAMBORGHINI LM 002




Sem duvida alguma o mundo mudou depois do lançamento do jipinho do Rambo, oi Lambotghini LM 002. terceiro protótipo de uma linha de veículos Off Road desenvolvidos pela fabrica de Sant´Agata Bolognese, a linhagem começou com o Cheetah, legítimo representrante da Lira do Delírio: era um jipão de duas toneladas e meia para qatroo passageiros montado em um chassi tubular como um carro de corrida mas com um enorme V8 Chrysler de sete litros pendurado na traseira à la Porsche 911.


 Imaginem o que era ter uma ancora de porta aviões pendurada ao rabo em termos de comportamento dinâmico... Se o Porsche já é problemático em curvas, imagine o Lambo. 
O CHEETAH DE MOTOR TRASEIRO
Desse Cheetah foi derivado um LM001 com o fim de vender para o Exercito americano, mas os sábios Engenheiros do Exército não quiseram um veículo com tanto peso no rabo – embora usem até hoje uma espécie de bugre militar com motor VW a ar na traseira -  e tenham acabado desenvolvendo a limusine do Deserto, o Hummer, que é outra história.
A Lamborghini, que já não pertencia mais ao seu criador Ferruccio Lamborghini, mudou os planos e reprojetou inteiramente o Jipão. Agora o bichinho teve instalado seu V12 de quatro comandos igual ao do Countach com 5.3 litros 332 CV na dianteira, a tração era nas quatro rodas com diferencial central mas desligável, mais ou menos como nos Cherokee V8 dos anos 80. Para os sedentos de potencia podia ser especificado o V12 marítimo de 7,2 litros e 500 CV. 


A suspensão era independente nas quatro rodas e como um apelo especial ao presumido maior mercado, os enormes pneus podiam ter sua pressão controlada por um compressor e ser usados quase murchos para flutuar nas areia dos desertos árabes. A viagem Hellman´s era vender aos árabes para uso de Sheiks ou para caçar contrabandistas de uísque usuários de potentes 4X4 americanos como os Blazer e picapes Ford.
O delicado jipinho pesa 2.800 kg, tem mais de 5 met5ros de comprimento e 1,90 de altura, tem um consumo que só dono de poço de petróleo aguenta -  1,5 km por litro na areia – e um tanque de 290 litros. Foi fabricada na versão cabine dupla com bancos na caçamba parqa mais seis passageiros além dos quatro que vão instalados na cabine com todos os confortos de um carro moderno, como som, ar condicionado, direção e embreagem hidráulica.
Em suma, um dinossauro mecânico que desapareceu em 1993 com o ambiente que o favorecia... Hoje é uma peça desejada de museu, com os 30 fabricados valendo a mesma coisa que os instrumentos reprodutivos do Marajá...