segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

FERRARI 612 SCAGLIETTI



O mito faz bater forte o coração enquanto me aproximo da escultura de alumínio – as mãozinhas suadas, trêmulas - que esperava estalando levemente no sol de São Paulo. Um amigo trabalhou muto e comprou esse carro que nunca foi avaliado no Brasil. Ele sabe usar a fera: acelera como um insano pelas avenidas de Sampa com uma trilha sonora que é o caos e a gloria ao mesmo tempo. Uma música inacreditável de uma máquina briosa e veloz. Ela pede a estrada em urros furiosos...



domingo, 27 de fevereiro de 2011

SUBMARINO DE SUPERFÍCIE POR JLV


Barco de cabeça para baixo


A fabricante de barcos de passeio coreana Raonhaje pensou, pensou e viu que estava presa a um mesmo conceito de barco, com quilha embaixo e cabine em cima – e por que não fazer o oposto, só para ver como ficaria?

Dito e feito: aí está o Ego, essencialmente uma embarcação com cabine para duas pessoas abaixo da linha d’água, excelente para se observar a vida marinha. Com duas quilhas e um tombadilho em cima, uma escotilha e uma escada para acesso à cabine, o Ego não tem capacidade real de mergulho, mesmo não muito fundo - mas pode fica ‘boiando’ enquanto seus ocupantes exploram o fundo de um rio, uma lagoa, ou mesmo à beira de um oceano, ou navegando a uma velocidade bastante interessante em locais não muito profundos.

A KOMBI DO JUÍZO FINAL...

Existe na semana de Bonneville uma classe de competição para obter o recorde de velocidade máxima na longa reta do Lago de Sal. São mais de 30 km de sal seco e totalmente liso, onde você pode acelerar e andar sem medo de ser feliz e dar uma mega-porrada em algo. daí que saem dos buracos criações as mais exóticas e inacreditáveis. Saem rebaixando tetos não pra ficar bonito, mas para diminuir o arrasto aerodinâmico, as rodas são estreitas para não dar arrasto de rolamento...e uma floresta de carburadores quádruplos Demon por cima do compressor...


quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON


Alta Roda nº 617 — Fernando Calmon — 22/2/11



















LUGAR AO SOL



O mercado brasileiro é francamente dominado por modelos compactos e seus derivados (picapes, SUVs, stations e monovolumes). Respondem por cerca de 80% das vendas totais de automóveis e comerciais leves. No entanto, há uma fatia de 12% representada pelos médios-compactos, que no ano passado somou em torno de 400.000 unidades. Nesse estreito segmento, modelos nacionais e importados lutam para conquistar um cliente de maior poder aquisitivo, mais exigente e, acima de tudo, lucrativo para os fabricantes. Estima-se que a margem líquida de ganhos seja até três vezes maior do que na média dos modelos que compõem a base do mercado.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER



End. eletrônico: edita@rnasser.com.br Fax: (61)3225.5511 Coluna 0811 16fev2011



Preço de imóvel, andar de avião. O novo Mercedes CLS 63 AMG


A Mercedes-Benz iniciou vender no Brasil contadas unidades de seu automóvel mais caro, o CLS 63 AMG. Quatro portas, entre-eixos grande, linhas acupezadas iniciadoras deste caminho estético que a Huyndai festeja como seu. Não veja o 63 como referência à cilindrada do motor. Foi, mas o caminho da redução de tamanho e preço resumiu-o em 5.500 cm³ em oito cilindros dispostos em V, com dois turbos, um para cada banco do motor, faz 525 cv de potência. A sigla AMG significa ser de preparo especial na divisão da Daimler, encarregada de criar confiáveis Mercedes com performance superior, sem fricotes de manutenção, uso atrapalhado ou pouco confiabilidade. Não é uma preparadora de motores, mas laboratório dinâmico. Quando você sabe que, em estrada, o CLS 63 AMG é capaz de fazer 10 km/litro, você olha para o seu carrinho com motor 1.0, 1.4 ou 1.6, e se pergunta onde está a justiça neste mundo?


Porquê


É automóvel superlativo, no equilíbrio entre interesse e orgulho tecnológicos, responsabilidade social sobre emissões. Segue regra fenícia de comércio: “não existe a palavra não para cliente”. Quase tudo é permitido.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

BMW M5 A 367 KM/H...G-POWER HURRICANE RS TOURING POR JLV


No fim de 2008 o G-Power Hurricane RS baseado no BMW M5 tornou-se o automóvel de passeio mais veloz do mundo com 367,4 km/h. No ano passado, a G-Power lançou o M5 Hurricane RR, que bateu o recorde anterior, indo a 372 km/h.


Agora, uma produção limitada a 1.035 unidades da BMW M5 Touring está sendo equipada com o motor V10 de dois compressores, 750 cv e 76,5 mkgf a 5.000 rpm do Hurricane RS. A perua bate o recorde do MTM RS6R de 2009 por 15,8 km/h e do Brabus T V12 de 1997 por nada menos de 40 km/h. Sua velocidade máxima é eletronicamente limitada a 360 km/h, fazendo com que ela seja desde já conhecida como a perua mais veloz do mundo.



DENISE JOHNSON SAI DA GMB

Presidente da GM no Brasil pede demissão



Denise Johnson não é mais a presidente da GM (General Motors) no Brasil. A executiva, segundo a assessoria de imprensa da montadora, teria pediu demissão por motivos pessoais e não faz mais parte do quadro da empresa desde segunda-feira (21).

O cargo será ocupado temporariamente por Jaime Ardila, que comanda as operações da companhia norte-americana na América do Sul, até a indicação de um substituto.

Ardila só comentará o assunto na quinta-feira, quando está agendada uma entrevista coletiva para comentar o anúncio dos resultados financeiros da GM em 2010 no mundo e na América do Sul.
 
Ísso é uma pena, pois a Sra. Johnson é engenheira mecânica, conhece bem suspensão e já trabalhou no chão da fábrica. Sua presidência anunciava um novo ciclo de desenvolvimento técnico na GMB, uma renovação que sempre iria ser bem-vinda.
 

O Mahar Press deseja BOA SORTE em seu futuro e lamenta sua saída precoce.

O ÚLTIMO FLATHEAD EIGHT CHRYSLER



Em 1950 a Chrysler Corporation apresentou seu derradeiro motor de oito cilindros em linha e cabeçote em “L”, pois em 51 saiu o famoso V8 Hemi Head. Era o motor grande de sua linha de luxo, a New Yorker, com 323 pol³ ou 5.297 cm³. Com 135 cv, ele tinha um mar de torque a baixa rotação, mais de 35 mkgf. Era equipado com a famosa transmissão semi-automática Gyromatic. Havia um pedal de embreagem que servia para levar a alavanca na coluna de direção para cima e soltar. Ela ficava deslizando no acoplamento hidráulico entre o motor e a embreagem convencional. Um comando centrífugo ao acelerar arrancava em primeira e trocava para segunda. Depois era embrear de novo e passar para a posição das marchar altas, no lugar da terceira: aí rolavam a terceira e a quarta automaticamente. Como o motor tinha muito torque o usuário preguiçoso passava a alta e saia de terceira deslizando majestosamente no torque do motorzão, mas devagar...Vi muito isso andando por aqui...


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

JASON VOGEL VIAJA....DE FENEMÊ


Trio parada dura



A vida estradeira numa viagem até Salvador em três Fenemês


Jason Vogel

VIDEO AQUI


Em marcha lenta, o motor Alfa Romeo a diesel, de 11 litros, soa como o arfar de um dragão descansando no fundo da caverna. Um pouco de acelerador e o som se transforma no rugido do leão da Metro. Daí para a frente, entram uma batida metálica na cadência de rabo de vira-lata feliz e, como ápice, o grave de um helicóptero Huey em rasante sobre acampamentos vietcongues. Viajar na boleia de um FNM é o caos e a glória. Nenhum outro caminhão tem tanta personalidade acústica — e isso vicia, como pude constatar ao longo de seis dias e 1.535 quilômetros de estrada, de Leopoldina, em Minas Gerais, até Salvador.

A ideia de formar um comboio com três Fenemês até a capital baiana foi de fãs da extinta marca. Osvaldo Strada fez a vida criando softwares para os maiores bancos do país mas, fazendo jus ao sobrenome, gosta mesmo é de estar ao volante dos FNM/Alfa Romeo. Coisas da genética, já que seu pai era caminhoneiro, ou melhor: "alfeiro" (é assim que se denominam os motoristas e adoradores dos veículos que eram fabricados em Xerém).
O MOTOR D-11.000

sábado, 19 de fevereiro de 2011

FIAT VAI ARRASAR EM 2012...

Com a nova plataforma lançada no Uno 2011, a principal crítíca, sobre a suspensão traseira, vai ser eliminada. O novo eixo traseiro é mais largo, tem mais bitola e curso, permitindo um controle melhor dos movimentos da carroceria. Isso vai ser um novo mundo de handling e aderência para um carro tão bonito quanto seus excelentes motores E.torQ. Tomara que a brava gente de Betim pense em usar o 1,8 de 132 cv neles. Aí vai ser rock'n'roll puro! Outra promessa fascinante de internet é o Bravo Abarth. Pense no chip do Linea de corrida...mesmo que não tenha os 215 cv, com uns 200 para ficar confiável....Ou mesmo o desatino do juizo final: um E.torQ 1,8 turbo com uns 200 cv...Ai, mamãe...eu quero!



HONDA CIVIC 2012

CIRCULAM NA INTERNET ESTAS FOTOS DO CIVIC 2012, SUAVIZADO NAS LINHAS MEIO JASPION DO ATUAL.
AS MECÂNICAS DEVEM SER AS MESMAS SOFISTICADÍSSIMAS DO ATUAL, OU EVOLUÇÕES DELAS.

 O INTERIOR FICOU MAIS RACIONAL E MENOS NAVE ESPACIAL, CONCORDANDO COM O EXTERIOR MAIS CONSERVADOR. COMO TODOS NA CONCORRÊNCIA, O CIVIC TEM UMA TELA DE LCD NO MEIO DO PAINEL SERVINDO PARA UMA INFINDÁVEL LISTA DE COISAS, INCLUSIVE UM GPS IMPOSSÍVEL DE USAR...


DIRIGINDO E ESCREVENDO NO CELULAR


O TELEFONE CELULAR FACILITOU MUITO A VIDA DE TODOS, MAS, AO LADO DO MALDITO INSULFILM QUE A TODOS CEGA E QUE ATÉ A MIM ATINGE, QUE NÃO USO, É UMA PRAGA QUANDO USADO AO DIRIGIR. VEJA O RESULTADO DE UMA MENINA BOBINHA FAZENDO ISSO AQUI:

video
DISCAR E ESCREVER MENSAGENS  AO TELEFONE QUE EXIGEM LÊ-LO DEVIA SER CRIME...VEJA ESSE VÍDEO E DEPOIS PENSE NO QUE FAZ OU DEIXA DE FAZER. OU QUE DEVIA NÃO FAZER.


O DIFERENCIAL NO AUTOMÓVEL - E O MOTOR



Andamos de automóvel a vida inteira e sequer imaginamos a maravilha da engenharia que está entre as rodas tracionadas: o diferencial. Com efeito, observa-se que, ao fazer uma curva, a roda externa deve ser tracionada mais rapidamente do que a roda interna, porque ela tem um percurso maior a realizar. Se as duas rodas fossem tracionadas igualmente, uma delas patinaria, sofrendo os desgastes do atrito com o solo e prejudicando sensivelmente o desempenho do veículo.


Como equacionar tal problema? Os engenheiros aceitaram o desafio e produziram o que é, a meu ver, a obra-prima da engenharia mecânica: o diferencial. Sabemos, desde então, que o diferencial funciona esplendidamente. Nós leigos nunca entendemos como e por que ele funciona. Ainda que observemos um diferencial de automóvel aberto (sem a carcaça protetora), não conseguiremos entendê-lo. Hoje, todavia, graças à internet, temos acesso a um despretensioso filme, produzido pela Chevrolet nos anos 30 do século passado, que nos faz entender, de uma forma surpreendentemente simples, o desenvolvimento da ideia. Uma pérola da didática! Parabéns ao professor!


Rode o filme AQUI e pasme  com a engenhosidade da aula.


HEAVY AMERICAN METAL...

COM UM DETALHE: QUAL, MEUS BRAVOS CORRELIGIONÁRIOS?





quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

LIMUSINE PORSCHE PANAMERA EM 2012...O MUNDO CAIU...


A Porsche está trabalhando em uma versão limusine do sedã meio fastback Panamera, diz a Autoweek americana.

Ele decidiram apresentar o Porsche alongado ao mercado para fazer a cabeça de chineses e norte-americanos querendo mais espaço para as pernas atrás, embora seja meio duvidoso que isso vá fazer o Panam mais bonito...Toda esse alongamento vem de uma porta traseira mais comprida como está na foto-montagem acima, o que deve aumentar o entre-eixos em mais de 130 mm para um total de 3.050 mm.

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON

 
 
 
 
Alta Roda nº 616 — Fernando Calmon — 15/2/11









OLHOS BEM ABERTOS


A internet está ganhando força como instrumento de apoio aos compradores de veículos. As experiências no Brasil remontam a 1993, quando a Fiat fez uma campanha para clientes encaminharem diretamente à fábrica os pedidos de modelos “populares”, num momento de forte desequilíbrio da demanda e oferta. O programa Mille On Line não resolveu todos os problemas – consorciados e companhias seguradoras tinham acesso restrito –, mas foi um passo importante para disciplinar as vendas e respeito ao consumidor.


Ao lançar o Celta, em 2000, a GM usou a rede mundial de computadores em linha para vender seu novo compacto por um preço um pouco menor. Na realidade, o desconto era fruto de uma filigrana fiscal que eliminava um nível de incidência do imposto. O cliente, na realidade, usava indiretamente a internet. Ia à concessionária e de lá o vendedor fazia a encomenda em seu nome.

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER


End eletrônico: edita@rnasser.com.br Fax: (61)3225.5511

Coluna 0711 16fev2011



Caminho da elegância, o do Peugeot 408

Os sedãs franceses aprenderam com o mercado nacional, transformando-se. São médios porém com refinamentos estéticos, conteúdo, confortos – e preços de carros maiores. Comprador brasileiro é esclarecido, atualizado, compara, sabe o que quer.

A Peugeot fez o 408 sobre a correta plataforma do associado Citroën C4. É seu primeiro carro mundial a ser produzido em Paris, Xangai e na Argentina. Firme, de boa dirigibilidade. Aumentou a potência do motor 2.0 16 v para 159 cv e aplicou transmissão mecânica de 5 velocidades ou automática de quatro, com opções de comando manual e programação esportiva. Solitária restrição, pois a concorrência fala com cinco e seis marchas.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

sábado, 12 de fevereiro de 2011

RALLY DE VELOCIDADE NOS BONS TEMPOS...

Audi Quattro de Rally
SEM ESP... SEM ABS... SEM TCS... SEM ASR (ZB), vale a pena ver, o tempo em que os HOMENS PILOTAVAM os carros. APERTEM OS CINTOS...!!!Algumas destas imagens são em Portugal...BONS TEMPOS!!!
http://www.biertijd.com/mediaplayer/?itemid=17362

Audi Quattro de "rua"

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

COMO SE FABRICA UM BOEING 777

A fábrica da Boeing em Tacoma, Washington, montando um 777. Fascinante... http://www.youtube.com/watch?v=mLGqrsjILo4
 

ABC OLD CAR É AMANHÃ...

V ABC Old Car - Antigos no Campus

A mais tradicional e charmosa exposição de carros antigos do Grande ABC prosegue ce neste final de semana - 12 e 13 de Fevereiro, no Campus do Instituto Mauá de Tecnologia, localizado na Praça Mauá, 01, em São Caetano do Sul. Além das máquinas maravilhosas restauradas para parecerem exatamente quando saíram das fábricas, o evento terá uma séria de atividades culturais e de responsabilidade social.

Veículos Clássicos, Hot Rod, Customizados de época e exemplares antigos de competição.



Ciclo de Palestras

Um dos pontos que diferenciam a exposição de carros antigos que acontece todo ano no Campus do Instituto Mauá de Tecnologia, dos demais são as palestras culturais e históricas. Este ano estão programadas quatro palestras, todas focadas no nascimentos profissional das competições no Brasil. O Centro das atenções será a Equipe Willys e o genial piloto Luiz Pereira Bueno. Será montada uma tenda com objetos e o livro recém escrito pelo piloto - Paixão e Técnica ao Volante - que serão comercializados a preços especiais.


A outra menção será ao saudoso Roberto Paladino, restaurador de carros antigos que sempre esteve radicado em São Bernardo do Campo e sempre foi um apoiador do evento cuja iniciativa colocou o Grande ABC no cenário nacional. Seu filho e o Clube do Fordinho estão programando uma grande demonstração de carinho.

Palestras Programadas

As palestras são ministradas no Auditório da Biblioteca no Campus de São Caetano do Sul. Solicitamos os interessados que, se possível, reservem lugar antecipado com Ervin Moretti pelos telefones 9213-8166 ou pelo e-mail: ervinmoretti@uol.com.br

Sábado - dia 12.02.2011

- 11h00 - Jornalista e ex-piloto Bob Sharp fala sobre a acirrada disputa entre as equipes oficiais das marcas Vemag-DKW e Willys, em uma das épocas mais importantes do automobilismo de competição do Brasil.

- 14h00 - Ronaldo Nazar, um dos maiores conhecedores da história de Luiz Pereira Bueno, faz apresentação inédita sobra a vida e as conquistas do genial piloto, utilizando recursos de imagens e de vídeos.

Domingo, dia 13.02.2011

11h00 - Bird Clemente, símbolo de uma época e o primeiro piloto profissional da história das competições no Brasil, que defendeu as cores da Equipe Vemag e depois da Willys, conta como era o clima nos bastidores e a convivência com colegas como Emerson e Wilson Fittipaldi, Carol Figeiredo, Chico Lameirão, José Carlos Pace e Luiz Pereira Bueno. Atualmente escritor e palestrante, ou um grande contador de "causos", como gosta de definir, Bird revela detalhes de uma época que projetou os rumos para a atividade esportiva no Brasil.


14h00 - Ronaldo Nazar, um dos maiores conhecedores da história de Luiz Pereira Bueno, faz a segunda apresentação inédita sobra a vida e as conquistas do genial piloto, utilizando recursos de imagens e de vídeos.

SÃO MOMENTOS IMPERDÍVEIS E RIQUÍSSIMOS EM HISTÓRIA CONTADA PELOS PRÓPRIOS PROTAGONISTAS.

Terrá ainda uma ampla área para Comércio de Veículos Antigos e Feira de Peças. Venha e participe. O Campus possui Lanchonete, Restaurante, Bancos 24 Horas e toda a estrutura necessária para seu conforto.

A entrada são dois quilos de alimentos não perecíveis recolhidos no local pela equipe da Cáritas Diocesana e destinados aos excluídos de todo Grande ABC.

Ficha do Serviço Clique e veja o Mapa de Como Chegar



V ABC Old Car & Parts – Antigos no Campus

Exposição de Automóveis Antigos e Especiais

Tema Central: As competições de Automóveis no Brasil

Datas: 11, 12 e 13 de Fevereiro

Horário: das 9h30 às 18h

Local: Centro Universitário do Instituto Mauá de Tecnologia – Campus de São Caetano do Sul – Praça Mauá 1 – São Caetano do Sul – SP

Entrada: 2kg de alimentos não perecíveis.

Destino dos alimentos: em prol da Diocese de Santo André (Grande ABC).

Estacionamento no Campus: R$ 15,00

Telefones: (11) 4421-3993/ 8554-9878

E-mail: abcoldcar@hppress.com.br

LINDÓIA 2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

9º BLUE CLOUD DKW

INFO: Ayrton Amaral Jr.

          TIM: (14) 8115-0111
          Res. (14) 3815-3519         ayrtonamaral@gmail.com 



ALTA RODA COM FERNANDO CALMON


Alta Roda nº 615 — Fernando Calmon — 8/2/11





GUIANDO NO EXTERIOR







Observar o ato de dirigir, o comportamento dos motoristas, hábitos e costumes no trânsito do dia a dia em outros países, pode se tornar uma experiência enriquecedora. Particularmente nos EUA, cuja frota de 250 milhões de veículos – a maior do mundo – ultrapassa em 60 milhões a população brasileira. Depois de rodar 1.200 quilômetros em sete dias, no estado da Flórida, há nuances a comentar.

Entre Miami e Orlando, a maior rota turística e de compras dos brasileiros no exterior, as diferenças começam nas estradas, antes livres de pedágio. A exemplo da Europa, o esquema é mais inteligente: paga-se o que realmente se roda. Nos acessos, o motorista recebe um cartão de controle, permitindo cobrar a tarifa proporcional ou total. Em alguns locais da Europa, dizem, esses cartões também serviriam para controlar a velocidade média dos carros, mas nos EUA isso não existe.

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER












End eletrônico: edita@rnasser.com.br Fax: (61)3225.5511


Coluna 0611 09.fev.2011

___________________________________________________       
Hora de picapes. Ranger Sport 2011, Mitsubishi Triton 2012

Boa idéia a da Ford em enfeitar a versão mais simples e barata do picape Ranger – cabine simples, motor a gasolina – pregando acessórios, confortos, e dando um tapa industrial na aparência, incluindo charmosas rodas em liga leve. Chamou-a Sport e colheu resultados inesperados, como manter 15% do mercado para a nova versão.

Idéia boa, em 2011 evoluiu para a pintura de nova grade, para-choques e retrovisores externos na cor principal. Para destacar, o grupo óptico frontal foi escurecido e as rodas pintadas em cinza.

Manteve apliques externos em plástico e, solução do Ka, o do meio do painel pintado em cinza prata. Na prática 23 equipamentos de série além da direção hidráulica e do ar- condicionado - vidros elétricos um-toque e anti-esmagamento, travas elétricas, travamento automático, pequenos mimos e, relativamente ao modelo de entrada, apresentado há dois anos, aumentou o preço em 10% indo a R$ 56 mil, entretanto os acessórios superam o valor aumentado.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

DRIVER FLYING LAP EM INTERLAGOS


O BMW Car Club Brasil e a Revista Driver têm o prazer de convidá-lo para o evento Driver Flying Lap Interlagos.
Data: 19 de fevereiro, sábado.
Local: Autódromo de Interlagos - São Paulo.
Inscrições: Revista Driver

Décio Rodrigues
Tel.: 11 7876-3133 ou
decio@revistadriver.com.br



LUIZ PEREIRA BUENO PASSOU: R.I.P., "PEROBA"



Informo com pesar, que no dia de hoje às 7h15, faleceu em Atibaia o ex-piloto de Formula 1 Luiz Pereira Bueno, 74.

Luizinho lutava contra um cancer de pulmão há cerca de 1 ano.

O velório será em Atibaia e o corpo, cremado no cemitério da Vila Alpina em São Paulo, ainda hoje, a partir das 16h00.

À familia e amigos, os sentimentos pela perda de tão querida pessoa.

Segue um breve resumo da carreira deste grande piloto brasileiro e também chefe de equipe.

Luiz Pereira Bueno nasceu em São Paulo, em 16 de janeiro de 1937. Cresceu em volta de carros e oficinas mecânicas.

Começou sua carreira em 1958 nas Mil Milhas Brasileiras, em Interlagos, ao lado de outra lenda do automobilismo, Bird Clemente. Integrou o departamento de competições da Willys-Overland do Brasil desde o seu inicio, sob a tutela de Christian Heins, o "Bino". Dali formaram a maior e melhor equipe de competições que o Brasil já possuiu. Após a morte prematura de Christian nas 24 Horas de Le Mans de 1963, Luiz Antônio Greco assumiu o comando da equipe e formou um verdadeiro time de "Ases" . Além de Luizinho integravam a equipe, Bird Clemente, José Carlos Pace, Wilson Fittipaldi Jr., Emerson Fittipaldi, Chico Lameirão e Carol Figueiredo.


Luizinho iria colecionar uma série imensa de vitórias nas principais provas brasileiras. Venceu Mil Milhas, 24 horas , 500 Quilômetros, 1000 Quilômetros, 12 horas, 3 horas de velocidade. Foi campeão brasileiro cinco vezes, em 1967,1968,1972,1973,1975.

Foi para a Europa e participou da temporada de Fórmula Ford em 1969, tendo como chefe de equipe Stirling Moss. Foi vice-campeão, mesmo tendo começado a correr no meio do campeonato. Participou da primeira temporada de F-Ford no Brasil, o Torneio BUA. Venceu a etapa do Rio de Janeiro. Participou de forma brilhante da temporada de Fórmula 3 no Brasil correndo contra Alan Jones, Toni Trimmer, José Carlos Pace, Wilson Fittipaldi Jr., as feras da categoria na época. Correu duas provas de Fórmula 1 no Brasil. 


A primeira em 1972, quando foi disputada a primeira corrida de F-1 no País. Pilotou um March 711 formando dupla de equipe com Ronnie Peterson. Nos treinos para a corrida Luiz bateu o recorde do anel externo de Interlagos, feito que permanece até hoje. Em 1973 participou correndo com um Surtees em companhia de José Carlos Pace. Foi co-proprietario daquela que foi a grande equipe de competição do Brasil nos anos 70.


Na equipe Hollywood, imortalizou o Porsche 908, o Opala, o Marverick-Berta e o protótipo Berta Hollywood.

É o piloto que uniu a era amadoristica de Chico Landi, ao profissionalismo que tem início em Emerson Fittipaldi.

Enfim, o "Peroba", como ficou conhecido nas pistas devido à sua grande resistência física, parte deixando um fabuloso legado no automobilismo brasileiro.

RONALDO NAZAR



CORRERÁS AINDA MAIS RÁPIDO NAS PISTAS DO CÉU...