domingo, 30 de junho de 2013

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER

 
 
O novo motor 1.0 três cilindros e o Fox
Um Fox capaz até 17% de economia sobre a versão 1.0 e quatro cilindros, é a proposta da VW para incrementar vendas por atualização e redução de consumo. Custa mais R$ 750, e diz a VW, recuperados por economia em até um ano.
Pulando a parte do automóvel, sem trocadilho mero veículo para apresentar o motor, parte mais importante da história.
É remédio tecnológico, iniciando curar carência da VW há anos, com motores de baixa potência específica, convencionais, duas válvulas por cilindro, sem brilho ou t grande. Novo, há pouco lançado na origem alemã movendo o UP!, primeiro degrau em tamanho e preço na marca.
Como é
Atual em conceitos por exigências de consumo e emissões, sonho de projetista: começar em tela branca, criando coisas novas e aperfeiçoando conceitos. Os três cilindros estão no caminho para motores pequenos, reduzidos em peças, custos de produção, consumo, emissões. Exigindo menor baia para o motor, permitem projetar carros menores, mais leves e econômicos.
Une conceitos atuais: todo em alumínio, 4 válvulas por cilindro, e funde o coletor de escape no cabeçote, aí aplicando o catalisador. Gere temperaturas diferentes, maior no bloco e menor no cabeçote, esta para diminuir a possibilidade de auto ignição, a batida de pinos, ante a taxa de compressão de 11,5:1.
Outras novidades, virabrequim com contrapesos especiais para absorver as vibrações do número ímpar de cilindros, bielas mais leves e, novidade maior – e pânico para reparos grandes –, os dois comandos de válvulas não são seculares eixos com excêntricos, mas a junção, por diferença de temperatura, ambiente e criogênica – 150 C graus negativos -, de pequenos pedaços de eixo e os cames. Juntam-se definitivamente em 30s. Para reparos, troca da tampa do cabeçote.
As válvulas tem aberturas variáveis, para mais torque ante demanda, balancins sobre rolamentos reduzindo atrito, e polias irregulares nos eixos baixando tensões na correia dentada. Pistões com saia curta, grafitada.
Na prática da teoria, reduzir partes, pesos, atritos = + disposição + economia.
 
 
Assim, …
Em relação ao 1.0 de quatro cilindros mantido em produção, é 24 kg mais leve, produz mais 3 cv, indo a 75 com gasálcool e e adicionais 6 - 82 com álcool. Em torque, respectivos – 9,7 e 10,4 kgmf - a 2.000 rpm dispõe de 85%, conforto ao uso urbano, sem exigir muitas trocas de marchas.
Impressões sobre o conduzir o conjunto, próxima semana. Aviso importante, não é substituição de motores em São Carlos, SP. Apenas inicia inexorável processo. Os atuais 1.0 e 1.6 8V continuam em linha - por pouco tempo, espera-se, trocados pelos 1.4 turbo.
 
 
 
Um up no Fiat Idea
Outra demonstração de competência da Fiat em seu aclamado projeto de mudar constantemente a aparência de seus produtos, sem mudar de produtos. Desta vez foi o Idea, com grades frontais novas, diferenciadas entre si para identificar as versões de decoração Attrative, superior, e Essence, de base. Completa com molduras nos faróis de neblina, calotas e rodas. Trato interno, com mudança do painel, comandos e volante multi funcional. Agregação de itens de conforto, como ar condicionado, antes opcional, agora são de fábrica.
E ?
Quanto:
Idea Essence 1.6 16V                               R$ 45.370
Idea Adventure 1.8 16V                           R$ 52.400
Idea Attractive 1.4                                 R$43.290
 
 
 
Tiggo, revisto e melhorado
É como os dicionários: a nova edição é revista e melhorada. A Chery fez isto com o Tiggo, utilitário esportivo médio, aqui apresentado em 2009. Mudanças para caracterizar a nova modelia: frente – faróis, grade e para-choque; traseira – lanternas; interior – painel, indicadores curiosos e ociosos como indicador de pressão atmosférica, altitude. Também há bússola no país que se orienta por direita-esquerda-atrás-e-frente. De conforto, sem TV para orientar manobras, mas apenas sensores de estacionamento na traseira.
Mecânica intocada, motor 4 cilindros dianteiro, transversal, 2.0 cm3 e potência abaixo do nível mundial: 138 cv. Torque, discreto: 18,2 mkgf, explicando letargia em reações – O a 100 km/h em 15s e velocidade final aos 170 km/h são dados conseguidos por alguns 1.0.
Como todo automóvel feito para conquistar o mundo, é equipado ao mínimo das exigências mundiais. Assim, cumpre a função educativa dos chineses, explicar ao comprador brasileiro que pode ter mais por menos. Vem com ar condicionado, acionamento elétrico para vidros, travas e retrovisores; radio-cd; rodas em liga leve, freios anti bloqueio - o ABS, seu gestor EBD e bolsas de ar na dianteira.
A R$ 52 mil. Não é chinês, mas em caminho que se alarga, sino-mercosulino, indicando um processo industrial tributário. Sai da China, para no Uruguai onde a Chery e um sócio argentino aplicam mão de obra em alguns processos e agregam o dito “Conteúdo Regional” – peças feitas no âmbito do Mercosul. Tal atividade permite apor o carimbo de produto uruguaio, e assim entrar no país sem pagar os 35% de imposto de importação, e adicional de 30 pontos percentuais sobre o IPI.
 
 
 
Os JAC J3, já aperfeiçoados
Dois anos não é medida de tempo justificadora para investir e mudar um produto, mas a chinesa JAC o fez em seus modelos J3, hatch, e sua versão sedã, no Brasil dita Turin. Explicação simples, a excepcionalidade.
O Brasil é o mercado mais importante da JAC, único país fora da China onde a empresa tem um sócio – 2/3 – e constrói fábrica. O sócio, Sérgio Habib, fez o dever de casa direitinho, conformou o automóvel, investiu em engenharia brasileira para acertá-lo a condições e gostos nacionais. Vinha em sucesso na fórmula de carro completo a preço de carro pelado, provocando a indústria nacional em suas enfumaçadas relações com o poder central, a gestar projeto que taxa ou limita a entrada de importados. Ou seja, eleva o preço dos bem equipados ao consumidor para não concorrer com os simplórios.
A medida legal construiu um muro à frente da JAC, tentando se adequar, construindo a fábrica, conseguindo cota de importação, limitando-se até iniciar a produção local no próximo ano. As mudanças no J3 são consequência da importância do mercado – e da necessidade de aumentar vendas. Hoje, absolutamente contidas, apesar do preço quase histórico. Apenas 2.205 J3 deixaram as revendas e cerca de 1.300 Turin. Números pequenos.
Mudaram a frente e no Turin também o conjunto óptico e para choques posterior. Interior revisto e aperfeiçoado, mudanças nos instrumentos, tentativa de oferecer ideia de luxo, em especial no Turin, com volante revestido em couro.
Soluções agradáveis, italianas. O conteúdo permite manter o conceito – completo, nada a acrescentar, melhor da categoria e preço: direção assistida; bolsas de ar na dianteira; freios anti bloqueio – ABS, e seu gerente EBD; faróis com regulagem de altura; rodas em liga leve; auxílio elétrico para vidros, trancas e retrovisores externos, ar condicionado, sensores traseiros para estacionamento, ...
O motor mantém-se pequeno. Ágil, moderno, mas limitado pelo peso do carro. Assim, os 1.250 cm3 produzem atrevidos 108 cv, mas seu torque só aparece depois das 3.000 rotações – como o motorista brasileiro dirige sem saber que o conta giros é uma referência visual para compatibilizar o motor com o andamento, pode achar que o carro é completo, barato, porém fraco. Injustificadamente. O problema está no equipamento sobre o banco dianteiro esquerdo, entre os pedais e o volante...
Preços imexíveis pois são completos, sem opcionais: J3 hatch R$ 35 mil; Turin R$ 38 mil. Garantia 6 anos.
 
 
 
Roda-a-Roda 
Limpeza – Montadoras e importadoras estão em plena operação limpa pátio para não ter estoques com a chegada da modelia nova. Volkswagen reduziu preço do Touareg V8, 4.2, injeção direta, para R$ 267.990 – menos R$ 40 mil. V6, 3.6, R$ 220.990. No super sedã CC, V 6,  3.6, 300 cv, o mais rápido dos VW, redução de R$ 23 mil, leva-o a R$ 184.990.
Extremo – Em outro extremo a Chery varre o estacionamento dos baratos QQ. Nova linha QQ3 iniciou ser montada no Uruguai e chegará aqui.
Pendenga – Chegou a meio termo nos Eua a questão da garantia que a Fiat teria a honrar agora como dona da Chrysler, quanto a riscos de vazamentos em tanques de Cherokees antigos. A Fiat disse que não faria o re-call, mas propôs conta de chegar: examinará os carros e, nos de maior risco, colocará armação de engate, capaz de diminuir os danos em caso de futura pancada traseira.
Tim-Tim – Na Alemanha leitores da revista Sport Auto elegeram os carros mais esportivos de 2013. Deu Mercedes nas três categorias: Classe A 45 AMG, C 63 AMG e SLS AMG GT. Vitória para encher a cara com Krugg Sekt, o espumante alemão visto como champagne. A Mercedes está engatada em recuperar a liderança na venda de automóveis frente às não escolhidas Audi e BMW.
Pacote – A Fiat não foi sozinha para os EUA ao assumir a Chrysler. Foi de turma. Mais recente a se instalar para fornecer às outras marcas de lá – Ford, Chevrolet, Honda, Toyota, Nissan, BMW, Mercedes ... – é sua fabricante de peças Magneti Marelli. No Tennesse para fazer faróis, lanternas, lâmpadas. Inicia fornecendo para o Jeep Cherokee 2014.
Big Brother – Num Ethios exposto no Salón del Automóvil, Buenos Aires pequena câmara de vídeo apontava para quem se sentasse à frente do volante. Explicações cobradas à Toyota pelo sítio Autoblog.ar discreparam: identificava o sexo do interessado e transmitia informações; idem, para mudar a programação do som. Jornalista do blog não percebeu tais opções e restou a opinião de arapongagem.
Razão – Líder na Argentina, a PSA somando Citroën e Peugeot marcou novo recorde de venda nos cinco primeiros meses: 62.000 veículos, mais 28,6% em relação a idêntico período de 2012. Mercado cresceu 8%. Apenas para provar quanto custa um erro de estratégia, no Brasil somadas vendas de Peugeot e Citroën, equivalem a menos de 1/6 da Fiat.
A holding investe fora da Europa. Quer 50% das vendas em outros continentes.
Segura – Mercado sugere cautela com a inadimplência na venda de carros novos. Falta convencimento que o país tenha um plano econômico, as mudanças dos índices, o dólar indomado e a redução no nível de emprego afetarão o pagamento das prestações.
Recorde – Fábrica de motores VW na universitária cidade de São Carlos, SP, comemora produção de 8 milhões de 1.0 e 1.6. Fornece ao Brasil e à Argentina.
Especialização – Nissan inaugurou Centro de Treinamento em Jundiaí, SP. Quer se preparar aos planos e ordens de ter 5% do mercado em 2016 – hoje tem a metade. Treinará especialistas: comerciais; pós venda e mecânica.
Cunha – A chinesa Shinerai fez o impensável: meteu o pé e abriu a porta das vendas oficiais: fornecerá 100 vans ao Ministério da Saúde para campanha contra Dengue. Preço. O fim da Kombi em dezembro deixará o segmento para os chineses. É prova de fogo.
Parâmetro – Valor de automóvel antigo está ligado à sua qualidade, a algum dado que permita contar histórias, ou à raridade. Um dos quatro existentes na Inglaterra, raro VW SP2, de 1975, necessitando de reparos, está à venda, conta o sítio Barn Finds. Lata furada pela umidade inglesa, dono quer 7.950 libras.
 
 
 
Rito – Como anunciado pela Coluna há 20 dias, a Volkswagen iniciou produzir as motos Ducatti Monster 696 em Manaus. Serviço pela Dafra, especializada no assunto, montadora de outras marcas, incluindo BMW.
Negócio - Curioso ? A marca italiana foi adquirida pela incontida gestão de seu conselho superior para transmitir tecnologia de fundição de componentes e desenvolvimento de motores. Quem, em tese, comanda é a Audi.
Bola de cristal – Dica do leitor Rui Donizete, de Brasília: Grand Prix, o melhor filme sobre Fórmula 1, tem versão Blue Ray, com making of e trailler original. Disse ter comprado na Livraria Saraiva, mas existirá em outras: R$ 29,90.
Melhor ? - Melhor. Boa história costurando pilotos, equipes, formas de viver e encarar as corridas. Belas tomadas de cena, ótimos sons. Antecipou em três décadas o fim dos anos românticos e a entrada na atual seara, onde pilotos se transformaram apenas na parte falível da eletrônica ...
Fiat quer dar dignidade ao fim do Mille
Legislação obrigando todos os automóveis e comerciais leves a portar ABS nos freios e almofadas de ar para os passageiros frontais, forçará o fim do Mille. Implantá-los em sua estrutura significa tantas mudanças e investimentos sendo melhor desenvolver um sucessor e iniciar nova jornada no caminho bem pavimentado por ele: carro de trabalho e o nacional de menor preço.
Carros são retirados de produção e substituídos. Mas, no caso, a Fiat quer marcar o adeus com eventos marcantes, enfatizando as boas lembranças, as boas características, os bons registros em sua trajetória. Para lembrar, quando lançado com o original nome de Uno, era revolucionário projeto de Giorgetto Giugiaro – depois eleito o Designer do Século. A proposta visual chocou, mas logo descobriu-se a invejável praticidade.
Abriu caminho de pioneirismo: primeiro 1.0 a aproveitar a legislação de incentivo à indústria automobilística; idem, nos 1.0, a receber ar condicionado, e turbo. Turbo com ar só existiu no Brasil.
Por diversas vezes analisou-se seu fim, mas o mercado – e a Fiat, mantiveram-no rentável – hoje ele vende quase metade do sucessor, o Novo Uno.
A Fiat quer fazer eventos assinaladores da carreira recorde, com 30 anos menos cinco meses: série especial, livrinho, coisas para dar orgulho de ter sido revolucionário em proposta estética, iniciador do caminho dos 1.0, e de ter assumido a posição de Fusca da Fiat.
 
 

terça-feira, 25 de junho de 2013

AGORA É A VEZ DE CURITIBA...

Da série ‘parabéns aos envolvidos’: mais um autódromo brasileiro com morte decretada

tn_620_600_AUTODROMO_albari_rosa_09-02-10
RIO DE JANEIRO - Aproveitem enquanto há tempo: o Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais, e o Kartódromo próximo ao circuito, vão ser desativados brevemente. A partir de 2015, a pista reinaugurada em 1989 com uma corrida de Stock Car, vai receber o chamado “beijo da viúva” e deixará de existir – tal como aconteceu com o Autódromo de Jacarepaguá.
Vence, mais uma vez, a especulação imobiliária, pois o terreno do autódromo será cedido para a construção de condomínios residenciais. Olhando no Google Maps, é realmente um terreno de extensão bem considerável, em torno de 657 mil metros quadrados. E, logicamente, a conta foi feita no seguinte prisma: se cabem muitos condomínios no terreno, para que ter um autódromo, não é mesmo?
É triste… Curitba era uma das únicas duas pistas no padrão “FIA” no país e, desde que a MotoGP deixou de vir ao Brasil, sediava eventos internacionais como o WTCC e a AutoGP World Series, tal qual Interlagos, que tem a Fórmula 1 e o WEC e já recebeu também o ITC e o FIA GT.
A pista, inaugurada em 1967, permaneceu na ativa até 1973, quando foi desativada pela primeira vez. Com a iniciativa privada, o traçado foi reformado e reativado em 1989 com uma corrida de Stock Car (salvo engano, vencida por Chico Serra), com intensa atividade desde então – com uma ligeira intervenção da CBA por falta de segurança na pista, o que acarretou o fechamento temporário do autódromo e o retorno das atividades em 1996.
O grupo Inepar foi o responsável pela manutenção da estrutura durante praticamente todo este período. Ocorre, também o seguinte: o Autódromo está estabelecido como pessoa jurídica sem fins lucrativos. “Arrendamos o local em 1994, com um contrato de dez anos, automaticamente renovado por mais dez”, conta Jauneval de Oms, o Peteco, presidente do AIC e da Inepar.
E desde o início do ano, choviam boatos sobre um possível fim do Autódromo, uma vez que o terreno estava penhorado havia 17 anos em decorrência de dívidas trabalhistas de uma empresa da qual o proprietário original, Flávio das Chagas Lima, já falecido, era sócio.
Boatos que, infelizmente, devem se concretizar.

O MUSEU DE ARESE

A Alfa Romeo em Arese Museu está fechado para a decepção dos fãs de todo o mundo. No museu percebemos que dedicamos este serviço em 2010, um serviço que ajudou a declarar o museu como um local de interesse histórico, bem e empatou oficialmente o patrimônio nacional pelo Ministério do Património e Cultura, também a pedido do senador César Monti.



Alcune immagini tratte da internet del "tesoro" che si trova nei sotterranei del Museo Alfa di Arese.
Nelle foto potete vedere prototipi di auto tra le quali la Giulia,Alfetta,Montreal,le ultime Alfa 75 prodotte,motori sperimentali V6,V8,bialbero ,boxer e anche un rotativo Wankel.Non dimentichiamo che qui si trova anche l'officina del museo,dove esperti meccanici "vecchio stile" mantengono in perfetta forma le splendide vetture del Biscione esposte al Museo Storico




Alfa Romeo 2600 Coupè Sprint - Dream Cars
Model: 2600 Coupè Sprint
Displacement cu in (cc): 157 (2584)
Power bhp (kW) at RPM: 145 (108) / 5900
Max Torque Speed Nm: 212
Redline at RPM: 4000
Top Speed mph (km/h): 120 (193)
0 -- 62.1 mph:






ALTA RODA COM FERNANDO CALMON


Alta Roda nº 738 — Fernando Calmon — 18/6/13

LEGISLAÇÕES ATRAPALHADAS

Tudo indica que a obrigatoriedade de utilização de rastreadores em veículos novos (incluindo motocicletas) será adiada pela quarta vez. Deveriam ser instalados, no final deste semestre, na própria linha de montagem de todos os veículos produzidos no Brasil ou importados. Esse dispositivo foi imposição do ex-ministro das Cidades e presidente do Contran, Márcio Fortes, apesar de vários especialistas do próprio órgão e representantes do setor automobilístico terem ponderado sobre dificuldades técnicas, custo-benefício inadequado e aumento de preço ao consumidor mesmo nas regiões do país de baixo risco de roubos e furtos.
Depois de superar imbróglios jurídicos quanto ao cerceamento de privacidade e de desenvolvimento dos equipamentos, iniciou-se a fase de testes reais em campo conhecida como operação assistida. Ao final de cada uma de três dessas operações, com frotas espalhadas pelo Brasil, constatou-se o óbvio: a rede de telefonia celular, fundamental para funcionamento do sistema, apresenta grandes áreas de sombra (falta de cobertura) e ficaria ainda mais congestionada com tráfego de dados do que já está.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

UM CAMBIO DIFERENTE...

No post da Alfa Sei um leitor atento notou que o roteiro da alavanca de cambio tinha a primeira fora do "H", como na imagem acima. Essa diferença é característica das caixas ZF dos anos 80, usadas em vários carros de maior potencia, como a Ferrari 400/412. A razão? nos carros de corrida a primeira só é usada para sair do boxe ou na largada. Portanto essa configuração torna mais rápida e fácil a troca entre segunda e terceira, ambas na mesma reta, bem como a quarta e a quinta marchas. Isso embora a Sei esteja longe de ser um caro esporte...No máximo um sedan esportivo... Alguém aí lembra de passar marchas?

O MISTÉRIO DA IMPORTAÇÃO DE ANTIGOS

Tal como explica Leonardo Contesini no Jalopnik é facinho importar um carro antigo. Veja como você deve proceder:


A legislação brasileira considerados antigos os carros com mais de 30 anos de fabricação, mas você só poderá importá-lo se ele estiver em condições de rodagem. Nada de desmontar o carro e trazê-lo em pedaços.
Escolhendo e negociando o carro


Você pode importar qualquer carro de qualquer lugar do mundo — desde que ele tenha 30 anos ou mais e esteja em condições de rodar, como dito no parágrafo anterior —, basta escolher o carro e negociar o valor final com o vendedor. Uma dica valiosa: dê preferência a carros que não precisarão de restauração. Para restaurar um antigo você precisará importar peças (e pagar impostos por todas elas) e ainda pagar caro por mão-de-obra especializada no Brasil.


Antes de efetuar o pagamento, contudo, é preciso resolver algumas questões.

sábado, 22 de junho de 2013

ALFA SEI


Um modelo de Alfa Romeo desconhecido no Brasil é a SEI. Seu nome vem de sei cilindri, já que usava uma versão longitudinal do mesmo motor de Giuseppe Busso que equipou a da 164 à 166;. As primeiras versões carburaadas tinham 2,5 litros e carburadires Dell´Orto, mas existiu uma versão de dois litros com SEIS caburadores DellÓrto dee Moto... Sempre com tração traseira a Sei era parente proxima da nossa imortal Alfa 2300, como é fácil ver nos vídeos anexos. No último algumas imageens do JK de seis cilindros de 1962, a Alfa 2600...


VOLTANDO AO AR

Depois de alguns dias guardado no são Lucas, em Copacabana, o tal de Mahar volta a falar besteira no ar }Internet afora.... O problema foi diagnosticado como filtro de ar entupido, corrente de comando saltada um dente e ignição fora de ponto, ou seja, falta de ar, pneumonia e arritmia cardíaca, tudo voltando lentamente aos eixos.
O problema é que o blog ficou parado por seis dias e a audiência caiu. 
Portanto tenho a pedir aos meus leitores que me apoiem nesse momento complicado divulgando para sua lista de amigos os novos posts que vão ao ar a partir de hoje e AJUDEM O MAHAR A SOBREVIVER! 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Nota aos Correligionários

Correligionários

Resistindo bravamente a complicações de pneumonia que me pegou semana passada, estou na CTI de um hospital carioca, de onde devo sair em 4 dias.
Durante esse tempo, espero que vocês usem sua lista de amigos para divulgar o blog, devido a dificuldade de atualizá-lo.

Obrigado pelo apoio.
Mahar.


Ass.: Jonas Mattos – Webmaster

sábado, 15 de junho de 2013

JOEY DUNLOP, THE KING OF THE ROAD!

HÁ 30 ANOS, JOEY DUNLOP VENCEU TUDO EM CORRIDAS DE RUA,  PERINCIPALMENTE O TOURIST TROPHY NA ILHA DE MAN, O LUGAR ONDE OS HOMENS SE ENCONTRAM E OS MENINOS SÃO POSTOS DE LADO. CURTA ESSE FILME DE 1983 MOSTRANDO A TÉCNICA IRLANDESA IMPECÁVEL DE DUNLOP, COM SEUS PRECIOSOS COMENTÁRIOS PONTEADOS PELO SOM DA HONDA 850 V4. ENJOY!

NOVA DATA PARA A EXPOCLASSIC DE NOBO HAMBURGO

A organização do Expoclassic 2013 definiu a nova data do evento, adiado devido ao incidente ocorrido em um dos pavilhões da Fenac. Outras informações: www.expoclassic.com.br
.
Contando com os esforços das diretorias do Veteran Car Club de Novo Hamburgo e da Fenac, o evento foi confirmado para os dias 
16, 17 e 18 de agosto.


O QUE É O AMOR...

o-que-sobrou-do-meu-mustang

quinta-feira, 13 de junho de 2013

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON




Alta Roda nº 737 — Fernando Calmon — 11/6/13




CONFLITO DE INTERESSES





No próximo mês a indústria atingirá a produção de 20 milhões de veículos leves cujos motores podem ser abastecidos indiferentemente com etanol ou gasolina. Mais conhecidos como motores flex, em pouco mais de 10 anos (completados em março último) conseguiram crescente aceitação. Hoje, respondem por cerca de 90% das vendas de veículos leves com motores de ciclo Otto, inclusive de modelos de origem sul-coreana e chinesa que tiveram desenvolvimento no exterior.
É preciso lembrar que essa tecnologia chegou a ser ridicularizada no início, em 2003. No entanto, ela veio para ficar e, aos poucos, superou problemas. Esta semana, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) relembrou a trajetória de sucesso dos motores flex. Um dos poucos exemplos em que o Brasil vem mostrando competência em termos de pesquisa e inovação. Na sétima edição do Prêmio AEA de Meio Ambiente, o trabalho acadêmico vencedor de Jorge Tenório (Universidade de São Paulo) e Joner Alves (Aperam, ramo siderúrgico) tratou da geração de energia a partir de resíduos da produção de etanol.

O XIII RALLY INTERNACIONAL DO RS VEM AÍ!


DE CARRO POR AÍ COM O NASSER




edita@rnasser.com.br           

Fax: 55.61.3225.5511 

Coluna 2413  12.Junho.2013


Segura peão. Picape Mercedes
A Mercedes-Benz argentina confirmou estudos para desenvolver picape médio, do porte do VW Amarok, Ford Ranger, Mitsubishi Triton, e que-tais. A Coluna comentou isto há um ano e os executivos da Mercedes-Benz do Brasil, maior mercado para o produto, fizeram cara de paisagem. Agora, a empresa no vizinho país confirmou o desenvolvimento.
Os mapas de vendas de utilitário na Argentina são conceitualmente idênticos aos do Brasil, puxadas pelos picapes, e o fator facilitador não se resume ao mercado consumidor destes veículos, nem o fato de a estrela alemã ser o equivalente do tradicional slogan da igualmente alemã Bayer, tipo se é Mercedes é bom, mas a concretude de ter deslocado a produção do furgão Vito da Espanha, para a Argentina.
Assim, atirou no que viu, o mercado de vans e assemelhados, e acertará no que os olhos europeus não enxergaram – o curioso mercado de picapes, em vendas superior ao de utilitários. Se colocados num gráfico, os picapes brasileiros expõem característica interessante – a aplicação ao trabalho é inversamente proporcional ao preço -, mostram as cidades de economia intensiva em agro negócio, pecuária, produção de cana. Nelas os clientes de picapes, os chamados agro boys, usam-nos como automóveis de luxo e status. Será nestes que a Mercedes mirará. Abaixo, gradação de versões que acabará, até, em chassi pelado para receber carroceria de madeira e fazer serviço de carregar coisas e semoventes.
Produzir o Vito cria disponibilidade do trem mecânico, chassi, eixos, motor diesel. Dúvida e curiosidade. Desconhecido se o produto será um Vito com cabine seccionada, gerando plataforma de carga, ou cabine inteiramente nova. Curiosidade, a família que hoje inclui o Vito era a linha de comerciais da Volkwagen europeia, vendida à Mercedes.

COMEDIA: CADA UMA...


Descri??o: Descri??o: Descri??o: cid:image001.jpg@01CBBCA8.41A79360

Descri??o: Descri??o: Descri??o: cid:image002.jpg@01CBBCA8.41A79360

quarta-feira, 12 de junho de 2013

ALFA: PIÚ DI CENT´ANNI...

ALFA SI MANGIA?

A COLEÇÃO ROBERTO LEE REVIVE!

UM EVENTO DE KUSTOM: O ACERVO SERVINDO COMO DÉCOR PARA MAIS UMA MANIFESTAÇÃO AUTOMOBILÍSTICA. PARABÉNS AO BELLATO E A CAÇAPAVA! O PROXIMO EVENTO É SERÁ DE 2 A 4 DE AGOSTO. A  EXPO ROBERTO LEE CLASSIC


Ja esta confirmada a presença do Veteran Car Clube de MG, SP e RJ . os dois últimos têm como fundador o nosso saudoso Lee. 
Sua presença será representada com carros . Alguns colecionadores de peso de SP como Alberto Pamos , Fernando Burattinni , Og Pozzoli, Marcus Meduri  e outros ja confirmaram também com alguns de seus carros .
Esta semana teremos a confirmação de outros clubes aqui da região .
vai ser um evento com Shows e exposiçãos de carros de alto nível. A área é coberta para carros convidados, e área externa terá espaço  para mais de 300 carros antigos visitantes. A área de estacionamento de carros atuais será gratuita. O evento é promovido pela Secretaria de Cultura de Caçapava. o eventoacontece na semana de aniversário de Robrto Lee , quando ele completaria 79 anos em 5 de agosto. Nós estaremos comemorando 50 anos do Museu e o Título de Capital Nacional do Antigomobilismo.

terça-feira, 11 de junho de 2013

MILLE PATTES MICHELIN, A PLATAFORMA DE TESTES


Nos anos 60 a  Michelin inventou e montou um veiculo de testes de pneu inacreditável, Mille Pattes ou Centopeia  Levando às ultimas consequências a complexidade hidráulica de um DS normal, ideou um veiculo de dez rodas, seis atrás e quatro na frente, das quais duas do segundo eixo dianteiro são de tração, tudo controlado hidráulica mente  por um pesadelo hidráulico de tubos e bombas, além da roda de testes...

INMETRO VAI TESTAR COLISÕES DE VEICULO!


ACABOU A FOFOCA E O ACHISMO. AGORA VAI SER OFICIAL: SAIU NO ESTADÃO.





A UNICA FALHA É QUE TODAS AS FÁBRICAS DIGNAS DESSE NOME TÊM ESSAS EXPERIMETAÇÃOES, SÓ QUE OS RESULTADOS SÃO SEGREDO DE FAMÍLIA..

VEJA UMA COMPILAÇÃO DOS DES PIORES CARROS NO TESTE:



segunda-feira, 10 de junho de 2013

SEXY E COMPETENTE...

O B24 TUBARÃO...



https://fbcdn-sphotos-d-a.akamaihd.net/hphotos-ak-frc3/971142_316669051796561_47533069_n.jpg


Como uma B-24 muito colorida recebeu o seu nome


A B-24J S/N 44-40101 foi construída pela Consolidated Aircraft em San Diego Califórnia e entregue para a USAAF em Pueblo, Colorado junto com outras 50 Liberator’s em 1944. Uma nova tripulação, cumprindo a terceira fase do programa de treinamento, recebeu-a para completar seus vôos bem como para cumprir a missão de inspeção POM (como se fosse uma prova final, um oficial vai na missão de treinamento checando a performance de toda a tripulação...da preparação ao briefing final). Eles fizeram parte da ultima parte do Grupo de Bombardeiro 491 a sair dos EUA. Antes de saírem de Pueblo, foi tomada a decisão de pintar uma boca dentuça e olhos arregalados no nariz do bombardeiro e o Sargento Técnico Curtain, que era o engenheiro de vôo, teve a honra de fazer a pintura. O B-24 agora tinha uma cara e estava indo para a Batalha.

sábado, 8 de junho de 2013

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER




edita@rnasser.com.br           

Fax: 55.61.3225.5511 

Coluna 2313  05.Junho.2013


20 a 30 de junho, el  Salón del Automóvil de Buenos Aires
Soma de coragem, capacidade de entender o corcovear da economia argentina, vendas e perspectivas de crescimento, a Adefa, associação dos fabricantes, e a empresa AMC de promoções, farão a sexta edição do Salón Del Automóvil.  Será no espaço multi eventos, dito La Rural, em Palermo, beiradas da grande Buenos Aires. Contornaram as dificuldades. em especial as mais recentes, impostas pelo governo platino que negaceou o uso da área e, ao final, apesar do pouco tempo entre a certeza e a abertura, a Argentina, segundo maior mercado da América do Sul terá 40 novidades que interessam ao Brasil, maior. Mostra-las-á por 24 marcas internacionais, de automóveis e caminhões – única chinesa, a Chery.
A nós
De maior interesse ao consumidor brasileiro:
Citroën C4 Loundge, substituto do Pallas. Para os argentinos. DS3 conversível, dito Cabrio e um DS5 híbrido;
Chevrolet Tracker, SUV compacto – 4,25m, motor 1.8, injeção direta, 140 cv, transmissão automática com 6V ou manual com 5, tração total sob demanda. Mexicano, será importado para o Brasil com o nome de Traxx;
Chrysler, por sua divisão RAM, de picapes, repete a ação da Ford com o F 250. Importará o picape grande 1500, posição de tamanho e preço acima dos líderes de mercado lá produzidos, Toyota HiLux, Ford Ranger e VW Amarok. Completo, cabine dupla, motor V8 a gasolina, 5.7 litros e 390 cv de potência;
Fiat 500 L – quatro portas. Olhe e veja. Não é apenas um cinquecento esticado. De sua plataforma sairá o primeiro degrau da família Jeep, a ser produzido na fábrica de Goiana, Pe;
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Fiat 500 L – será base do Jeep pernambucano
----------------------------------------------------------------------------------

GARAGEM ALFA



COM TRES ALFAS: DUAS 8C, UMA 2900 E UMA COMPETIZIONE, UMA 2600 SPIDER...AH, E UMA TZ  E, CLARO, UMA GIULIA SUPER!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

HUMOR BRITÂNICO...


O governo britânico desistiu da frota de Harrier.
No vôo de despedida sobre o Parlamento, a esquadrilha mandou ao governo a sua mensagem. Incline-se um pouco para trás e feche um pouco os olhos.
Inline image 1