sexta-feira, 31 de maio de 2013

SEXTA FEIRA É DIA DE CREEDENCE...



O HINO DA ESQUADRILHA DA FUMAÇA DOS ANOS 70...NUVENS ILEGAIS...

AMANHÃ TEM ENCONTRO DE MOTO EM MORUNGABA...



Um dos locais mais conhecidos e apreciados pelos Motociclistas, Morungaba fica na estrada que também leva a Amparo e Serra Negra, no Estado de São Paulo, bem próxima a Campinas e Jundiaí. Teve seu 1º Encontro em 2009 nas dependências do Parque Ecológico, em 2011 aconteceu o 2º na Praça dos Italianos - Centro, no ano passado rolou o 3º Encontro, no Centro de Eventos de Morungaba, um local amplo, com completa infraestrutura, localizado no Centro da cidade e a apenas 200 metros da Rodovia. 
Com o sucesso alcançado em 2012, nesse ano teremos três dias, sexta, sábado e domingo, no mesmo local, testado e aprovado por todos que participaram. Mais uma vez, o mais importante, é vir conhecer a região, curtir as curvas fantásticas de suas estradas (aprecie com moderação), a natureza exuberante (o troféu, que ja virou tradição aqui, é uma muda de árvore nativa) e o povo hospitaleiro.

4º ENCONTRO DE MOTOCICLISTAS DE MORUNGABA
Dias 31 de maio, 1 e 2 de junho - das 18 horas de sexta-feira até as 18 horas do domingo.
Local: CEM - Centro de Eventos de Morungaba
Shows de Classic Rock
Locução Gaspar e Neto Mazzarini
Praça de alimentação
Feira de artigos e acessórios
Segurança 24 horas
Área de camping
Chuveiros aquecidos
Café da manhã para MC
Campanha "Zoeira? Tô fora."
Troféu para MC
Entrada 2 kgs de alimento ou R$ 5,00 (válida para os três dias)

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON




Alta Roda nº 735 — Fernando Calmon — 28/5/13




EM BUSCA DO MENOR CONSUMO




Mais um passo foi dado pelo governo para esclarecer e regulamentar o complicado novo regime automobilístico, batizado de Inovar-Auto, vigente por cinco anos, de 2013 a 2017. Além de complexo e intervencionista, na realidade não restavam alternativas muito melhores para que o País conseguisse manter sua indústria à tona em um ambiente complexo de competição internacional. Sem contar os sérios problemas advindos da valorização da moeda brasileira, que torna baratos os produtos importados e caros, os de exportação.
Para compensar o aumento de 30 pontos percentuais de IPI – ao contrário dos que muitos pensam atingiu produtos nacionais e importados – foram apertadas as exigências. O número mínimo de processos industriais a cumprir foi aumentado de forma escalonada. Em 2017, por exemplo, eram oito e agora, dez.
Importante para quem compra veículos é saber que o novo regime resultará em carros mais econômicos. A média ponderada dos modelos vendidos por cada fabricante terá de atingir uma melhoria em eficiência energética de 12% (equivalente à redução de 13,5% no consumo) com referência em 2012.
Não é meta banal. Comparações simplórias com a Europa desconsideram diferentes combustíveis e ciclos de aferição de consumo em laboratórios. Fabricante que deixar de cumprir estará sujeito a uma escala de multas pesadíssimas por unidade produzida. Na pior hipótese poderia passar de R$ 1 bilhão, se vendesse um milhão de unidades por ano fora do limite, por exemplo.
Há, no entanto, duas severas metas voluntárias de melhoria de consumo incentivadas por diminuição de carga fiscal, mas revertida ao produtor: reduções de 15,5% e 18,8%. Foram feitas duas mudanças: prazo esticado em um ano (de outubro de 2016 para outubro de 2017) e inclusão de carros híbridos e elétricos no cálculo da média ponderada de consumo.
No segundo caso, como se trata de modelos de alto custo de produção e o governo não alterou os impostos sobre eles, teriam pouco peso no cálculo da frota total comercializada pelo fabricante. Examina-se, porém, a possibilidade de valorizar essas tecnologias, até hoje subsidiadas no exterior, ao atribuir peso maior.
Intenção é estimular o interesse dos compradores brasileiros, concedendo ao fabricante ou importador um benefício fiscal indireto para veículos de baixíssimo consumo, caso dos híbridos. Afinal, as metas voluntárias seguem coladas às anunciadas na União Europeia e EUA para os próximos anos e as estratégias são semelhantes.
Não ficou claro, ainda, a referência na ponderação para veículos puramente elétricos. Estes acabaram de sofrer um revés simbólico no exterior com a falência do projeto Better Place, que previa postos de troca rápida de bateria em automóveis adaptados para tal. Além de tudo muito caro, atraiu poucos interessados nos dois países que tentaram abraçar o plano, Israel e Dinamarca.

RODA VIVA

PELO número de vezes que o Golf VII tem sido fotografado em testes de campo, indica que lançamento está próximo. Tudo aponta para meados do segundo semestre. Volkswagen usará boa parte de sua cota anual de 9.600 unidades para importá-lo da Alemanha. Como divide arquitetura com Audi A3, ambos deverão ser produzidos na fábrica de São José dos Pinhais (PR).
RENAULT, até o momento, é única marca sem modelos importados, à exceção de origem argentina. Decidiu, agora, aproveitar sua cota de até 9.600 unidades/ano sem IPI adicional. Pode trazer Mégane R.S. de 265 cv, mas objetivo central é o Captur, SUV compacto com base no novo Clio, a ser produzido no Paraná. Possível anúncio no próximo dia 17.
BEM posicionado na faixa de compactos de preço superior, novo Fiesta mostra conjunto mecânicos dos melhores, além de interior moderno e recursos multimídia de ponta, desenvolvidos junto com a Microsoft. Boa posição de dirigir, motor de 1,6 L mais potente do segmento (130 cv/etanol) e câmbio automatizado de duas embreagens que funciona melhor na opção S (esporte).
MERCADO brasileiro despertou para o conforto de câmbios automáticos ou automatizados. Há dez anos representavam apenas 2% das vendas de automóveis. Este ano pularão para 12%. Em algumas marcas já é bem mais. Entre as Quatro Grandes GM avançou bastante: Cruze, 90%; Sonic, 85%; Spin, 60%; Cobalt, 40%. Tendência de subir com Onix e Prisma, em breve.
REDUÇÃO de acidentes em estradas federais pedagiadas será incentivada por meio de tarifas mais atraentes às concessionárias. Ideia é ter bônus tarifários, se obras representarem menos mortos e feridos. Em sentido inverso, as que atrasarem cronogramas de melhorias de pistas terão reajustes menores. Tudo isso nos novos contratos.
COMBINAÇÃO de rastreador e seguro contra furto e roubo está em expansão. Pósitron é um dos fabricantes desse equipamento que funciona com GPS e rede celular GSM/GPRS. Preço do seguro, em parceria com BNP/Cardif, tem desconto de 50%: dispensa vistoria prévia, análise por perfil e região de circulação. Plano lançado este mês.
____________________________________________________

fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

quinta-feira, 30 de maio de 2013

OPPI, SUPERSTAR DO CURSO DE RESTAURAÇÃO!


O GESTO DE GIRAR A CHAVE É FABULOSO....SUPER SEXY...


Clube do Carro Antigo promove uma iniciativa inédita. Pela primeira vez no Brasil, realizam-se em caráter regular cursos profissionalizantes de restauração de veículos antigos.

UN TANGO....UNA NOCHE FRÍA...UN CARIÑO DE UM MOTOR...



UNA POESÍA , UN TANGO QUE DICE DE NOSTAALGÍAS, UNA LINDÍSIMA MUJER DE COLOR ALFA ROMEO, UN BANDONEÓN QUE HABLA DE LA RUTA....

quarta-feira, 29 de maio de 2013

COBRA BY DAN PALATNIK






RAID DA MANTIQUEIRA: MAIS FOTOS!


Veja algumas fotos do Robertinho e matéria da Autoclassic. 

Ainda falta O material de 3 fotógrafos! 

 http://www.flickr.com/photos/robertorodrigo/sets/72157633750991357/

http://www.autoclassic.com.br/autoclassic2/?p=20096

GMC SCENICRUISER PD 4501



Um símbolo americano, o GM Coach  Greyhound de 1954, diferente dos Cometa que tivemos aqui. Primeiro com dois motores 4/71 e uma transmissão hidráulica que não deu certo, depois com um 8V/71 de 425 CV e cambio manual ou automático: queria um... Restaurado como esse aí de baixo... 
PRA PASSEAR NO ARIZONA COMO OS DAÍ DE CIMA, NA ROTA 66.

mais fotos em http://www.greyhoundcoach.com



IL MOTORINO FEROCE... 455 CV EM UM 8V71 DETROIT DIESEL



MAS HOJE AINDA É DIA DE ROCK! GIMME SHELTER!

Ladies & Gentlemen The Rollling Stones Live 1972:



Nunca mais fui o mesmo bom garoto depois de ouvir isso...

terça-feira, 28 de maio de 2013

RAID DA MANTIQUEIRA - O TESTEMUNHO...

 

COMO ESTOU MUTO CAÍDO DE PNEUMONIA, COMEÇO A COBERTURA DO NOSSO DELICIOSO RAID COM O TESTEMUNHO DO LUIZ AUGUSTO MALTA, QUE GANHOU MEU PREMIO DE BRITISH ENDURANCE AO SER ATACADO PELO "PRINCE OF DARKNESS"... NOTEM QUE CHOVIA E O LIMPADOR SAID NOOOOO! SÓ DESCONTEM OS COMENTÁRIOS EXAGERADOS SOBRE MINHA AUGUSTA PESSOA.
FOTO DE RR OKTAVIUS, UM IMAGISTE DE PESO... ONBOARD LE CITROËN DS5 DE LA PRESSE... QUEM NÃO FOI PERDEU... E VAI TER MAIS...

http://antigomoveis.blogspot.com.br/


AQUI VAI O LINK PARA O ÁLBUM DE ROBERTINHO NO FUÇABUQUE:

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.577168918972634.1073741827.512297162126477&type=1

O VENCEDOR, ABAIXO, FOI PAULO NOVO E SEU PUMA, COM TREZE, REPITO, TREZE PONTOS PERDIDOS: UMA ELITE CARIOCA DE RALLY HISTÓRICO QUE SURGE NO RAID DA MANTIQUEIRA, O RUMO CERTO PARA QUEM REALMENTE GOSTA DE CARRO ANTIGO E DE USÁ-LO  COMO DEUS DETERMINOU!

JAY LENO AND MR. BLASTOLENE


O HOT ACIMA TEM UM V12/71 DE 475 CV. SEUS 14 LITROS GERAM MAIS DE 140 QUILINHOS DE TORQUE. A RAZÃO DESSE VÍDEO É O SOM DO MOTORZINHO, DE FAZER QUALQUER DENTISTA CHORAR... JÁ O DECOLINER ABAIXO É TODO EM ALUMÍNIO E TEM 375 CV E TRAÇÃO DIANTEIRA PARA 3.200 QUILOS, QUASE MIL A MENOS QUE O  ORIGINAL GMC COACH...



ENCONTRO DE BRASÍLIA



JÁ FIZ UM RALLY DE BRASILIA COM ESSE KG....

segunda-feira, 27 de maio de 2013

RUSH: LAUDA X HUNT


RUSH: ESTA É A HISTÓRIA DA TEMPORADA DE 1976, O APAGAR DAS LUZES DOS CARROS DE VERDADE, EM QUE O PILOTO DIRIGIA, TROCAVA MARCHAS E FREIAVA SOZINHO. FOI NESSE ANO QUE SURGIU A GRANDE RIVALIDADE ENTRE JAMES HUNT E NIKI LAUDA, CONTADA NESTE FILME DE SEXO, GASOLINA E ROCKN´ROLL...

PARA O ALFISTA QUE ESTIVER POR LÁ...

Poster Rafa Varela

sexta-feira, 24 de maio de 2013

OPALA DIPLOMATA FURTADO NO RIO

MEU AMIGO FICOU SEM SEU BELO E AMADO CARRO...
MORTE LENTA E CRUEL AOS LADRÕES!

DIPLOMATA 1988 FURTADO NO RJ - 
Em frente Hyundai AGO - Avn Ayrton Senna - 
Barra da Tijuca - 
Placa LJX - 2135 PETROPOLIS -
 Contato com Junior 
Tel (21) 9916-8089
Por volta das 15:00h – 23/05/2013.





ALTA RODA COM FERNANDO CALMON





Alta Roda nº 734 — Fernando Calmon — 21/05/13






DE VOLTA PARA O FUTURO





Filmes de ficção científica encantam quem gosta de visão antecipada dos avanços que reservam o futuro. Pois os carros de topo de linha são provas de que o futuro deixa às vezes de ser ficção, embora inalcançável para a maioria dos mortais. Mas há um consolo: algumas dessas novidades um dia cairão de preço com progresso das pesquisas, novos materiais e processos. Computadores de bordo, controles de trajetória, freios ABS e navegadores GPS pareciam inacessíveis faz pouco tempo.
Exemplo de transformação em realidade é o novo Mercedes-Benz Classe S, que chegará ao Brasil no fim do ano, na faixa dos R$ 800 mil. Sua première mundial (estática) em Hamburgo, Alemanha, semana passada, teve show à altura dentro da fábrica de aviões Airbus. Para descrever o modelo-símbolo da marca necessitam-se 150 páginas, em DVD; manual do proprietário seria confundido com um livro.
Difícil selecionar tópicos mais importantes entre tantos. Trata-se do primeiro automóvel a dispensar lâmpadas: há quase 500 LEDs (diodos de luz), dos quais 56 só para os faróis. Uma estereocâmera (tridimensional) avalia desníveis e buracos no pavimento à frente e comanda adaptação prévia das suspensões a ar. Essa câmera, em conjunto com sensores e radares, detecta, além de pedestres e outros obstáculos, o tráfego em cruzamentos, dia ou noite, para evitar ou mitigar acidentes. Estabilizador de velocidade mantém distância de segurança – acelera, freia, para e arranca – e segue o veículo da frente até em curvas de raio longo, sempre dentro da faixa de rodagem, ao atuar no volante de forma autônoma.
Novo Classe S foi construído de trás para frente, a partir da versão de entre-eixos longo, tal o nível de conforto e segurança. Poltrona traseira diagonal à do motorista inclina até 43 graus, tem suporte integral para pernas, aquecimento nos apoios de braços e 14 atuadores para massagem nas costas. Além de cinto de segurança inflável, há algo como airbag de assento que limita, em caso de acidente, o corpo escorregar por baixo do cinto, mesmo que o passageiro esteja adormecido.
Entre as amenidades, sistema ativo de perfumar o habitáculo sem saturar o ambiente, comando de várias funções por meio de telefone inteligente ou tablete e duas mesas de apoio rebatíveis no console central traseiro, além de sistema de áudio com 24 alto-falantes e 1.540 W de potência.
Privilégios também na parte da frente, com duas grandes telas de 12,3 polegadas, uma delas só para o quadro de instrumentos. E mais segurança: os cintos afastam motorista e passageiro da direção do impacto frontal; freio de estacionamento é acionado em caso de iminente colisão traseira para minimizar o efeito chicote sobre a coluna cervical de todos os ocupantes.
Em estilo, manteve o caráter evolutivo, embora a grade frontal maior lhe dê personalidade. São só dois cm a mais de comprimento (versão de entre-eixos curto), mas “emagreceu” 100 kg. Coeficiente aerodinâmico surpreende – apenas 0,24 –, mas, em breve, alcançará 0,23 com um pacote opcional de menor consumo/emissões. Motores vão de 258 cv a 456 cv, já enquadrados na próxima e ainda mais rigorosa legislação europeia antipoluição.


RODA VIVA

ESTRATÉGIA clara das marcas francesas: antecipar os sedãs novos frente aos hatches. Substituto do C4 Pallas (nome vai mudar para Lounge ou outro, em estudo) chega logo no segundo semestre, seguido pelo sucessor do Logan, igual ao já disponível na Europa. Respectivos hatches, C4 e Sandero, só no início de 2014. Este último tem mais fôlego de vendas até lá.
REPOSICIONAMENTOS de preços continuam para defender posições de mercado. Toyota recheou versão intermediária do Corolla em tentativa de deter avanço do Civic. Já a Ford acrescentou ar-condicionado ao Ka, o que o tornou o mais barato modelo com esse equipamento entre automóveis pequenos. Veterano Mille retomou a coroa de nacional mais acessível por R$ 21.990.
VOLKSWAGEN também mexeu no líder de vendas do mercado. Enquanto o todo novo subcompacto up! é esperado para início de 2014, a marca se defende das investidas dos rivais com Gol Rallye e Track, versões especiais de suspensões (mais) elevadas. Primeiro tem motor de 1,6 L e o segundo, de 1 L, ambos bem equipados. Preços puxados de R$ 48.580 e R$ 33.060, respectivamente.
LIFAN, marca chinesa agora divorciada do sócio brasileiro Effa, coloca suas apostas na montagem uruguaia do X60, SUV compacto anabolizado. Manteve a fórmula oriental de combinar máximo de recheio a preço baixo: R$ 52.777. Inclui até navegador GPS, além de material de acabamento longe do rústico. Estilo agrada e motor de 1,8 L/128 cv/16v está de bom tamanho.
SEGUNDO a Anfavea, mercado brasileiro é disputado por 1.220 modelos e versões de 54 marcas, entre nacionais e importadas (somados caminhões e ônibus, 62 marcas e 1.744 opções). Nesse nível de oferta, os dias de estoques em fábricas, importadoras e concessionárias terão que crescer para algo em torno de 30 a 35 dias.
____________________________________________________
fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

DE AUDI S8 NO COLORADO...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

LINDÓIA É NA SEMANA QUE VEM!

O MAIOR ENCONTRO DO BRASIL ACONTECE NA SEMANA QUE VEM. NÃO PERCA! MAIS DE 700 CARROS ANTIGOS E UMA GIGANTECA FEIRA DE PEÇAS!
                                      encontrodelindoia@gmail.com

ENCONTRO EM ARARUAMA DO NICTHEROY CLUBE



As incrições para o II Encontro do Nictheroy Clube / Ilha do Lazer em Araruama já estão abertas. Abaixso segue o link para os interessados com todas as informações e ficha de inscrição gratuita.Pede-s por gentileza que divulguem entre seus contatos e convidem a todos a participar desse passeio,. O Sitio Ilha do Lazer tem diversas atrações para toda familia, ( www.ilhadolazer.com.br ) a entrada no sítio será gratuita para todos os antigomobilistas inscritos.

Link para informações e inscrição:   http://www.nictheroyveiculosantigos.com.br/#!illhadolazer

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER





edita@rnasser.com.br           

Fax: 55.61.3225.5511 

Coluna 2113  22.Maio.2013



Inovar-auto. Outra regulagem
O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, apertou uma volta num parafuso e fez o contrário em outro. No hipotético carburador oficial: ao mexer na mistura líquido/ar, teve que acertar a marcha lenta. Por aí.
O aperto foi no aumentar as etapas industriais para a empresa aderente ao projeto oficial consigam se livrar da imposição de 30 pontos percentuais sobre o IPI dos veículos importados. A volta solta é o aumento de prazo para habilitação ao projeto, de 31 de maio, esticado a 31 de julho.
Outras regulagens: só o MDIC bota a mão no negócio. O Ministério da Ciência e Tecnologia recebeu agradecimentos pela parceria, e foi excluído. Também, importação favorecida apenas por empresa com vínculo formal com o fabricante. E, força a adesão das montadoras ao programa de etiquetagem aferidora de consumo. Há montadoras que não se inscrevem, boicotando o programa, uma referência para o consumidor.
Pontualmente automóveis deverão atingir, ainda este ano oito das doze etapas produtivas. Caminhões, nove entre catorze.
O governo se assustou ao receber informações que o Brasil vinha se desindustrializando, comprando, por exemplo, latas estampadas no exterior, apenas para soldá-las localmente, montando produtos com motores e transmissões importados. Dávamos empregos aos coreanos. Daí cobrar maior nacionalização nos processos.
A medida forçará as marcas indecisas a se pronunciar. Caso da Land Rover/Jaguar.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Para isentar o adicional do IPI, governo exige maior nacionalização.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

NO C OLORADO NO INVERNO DE AUDI s8, O MÁXIMO NA NEVE...




segunda-feira, 20 de maio de 2013

BMW M2

Eu devo confessar que esses swaps de motor w suspensão modernos em carros mais antigos agradam muito a um setor pervertido da minha alma, dominado pelo lado negro da Força...
Esse BMW "M2" delicioso foi feito por um cara chamado Marc Norris ( parente do Chuck?) que tem uma oficina chamada Bavarian Motor Works, com uma mecânica completa de um M3 E30 2,3 L4. a caixa é a do M3 que precisou de um berço especial, assim como uma boa fabricação na suspensão traseira, que é diferente. Os freios são Wilwood, o monobloco foi reforçado ao fechar as estruturas abertas, o boxing, enquanto foram usados conjuntos de mola e amortecedor, os coil over, nas quatro rodas. Os bancos são Recaro de BMW E21 e as rodas são Alpina. Imagine um 2002 que não sai doentiamente de traseira no molhado e tem 5 marchas curtas e 200 CV...
wheel wonder. 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER





edita@rnasser.com.br           

Fax: 55.61.3225.5511 

Coluna 2013  15.Maio.2013

Novo chinês, novo nível.

Se lhe perguntarem opinião sobre o Lifan, SUV chino-mercosulino finalizado no Uruguai, responda que está num patamar evolutivo. É sintética porém correta visão, nesta quadra de tempo e de mercado onde convivemos com enorme leque de novas marcas e procedências. No caso, a poderosa e vária tropa chinesa vem apresentando marcas e modelos absolutamente desconhecidos, misto de curiosidade, preço, conteúdo, mas com ponto comum: em construção ainda não atingiram os níveis dos fabricantes tradicionais.
O Lifan X60 está nesta categoria evolutiva. Mantém as instigações, em especial conteúdo, equipamento e preço. Entrega a conformação sugerindo valentia, o posto de condução superior, a fortaleza com auto noção assumida pelo usuário. Complementa-a com leque das facilidades oferecidas pela eletrônica – chave não usada como chave, apenas como presença, piscas nos espelhos, faróis acesos 30s pós desligamento do carro, tv, sensor de ré, e mais o arroz com feijão atual: ABS+EBD, ar condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos. O motor é de quatro cilindros, transversal, 16V com acionamento variável. Desloca 1,8 litro e produz 128 cv e 16,8 kgfm de torque. Suspensões independentes e freios a disco nas 4 rodas. Câmbio mecânico, com 5 velocidades, tração dianteira.
Diferenças
Segue a receita traçada pelos JAC quando chegaram ao Brasil: completos, sem opções, a preço de concorrentes menos dotados. Os chineses, todos, não querem se submeter ao raciocínio que a origem os obriga a ser baratos. Lenta, mas inexoravelmente, aproximam-se dos carros de montadoras tradicionais – e o preço vem junto. Preferem esculpir a imagem do carro completo a preço agradável. No caso, R$ 52.777.
Renascer
No Brasil a marca era representada pela Effa. Negócio não deu certo e a Lifan assumiu a representada, incluindo a pequena fábrica que operava a 50 km de Montevidéo, Uruguay. Aplicou, diz, US$ 80M no negócio, em especial para criar centro de distribuição de peças e ter a operação num condomínio industrial em Salto, SP. A operação, para não se submeter aos ofensivos impostos, passa pela importação dos automóveis semi desmontados para o Uruguai, complementação e montagem com peças regionais. Assim, com 1/3 regionalizado, entram sem a super imposição tributária.
A Lifan simboliza sua vinda com o X60. Quer esquecer os 320 e 720 – os primeiros, inspirados no Mini – que ficaram órfãos. A montadora já não mais os fabrica, mas quer fidelizar clientes, dispondo-se a suprir peças e assistência técnica. Tens problema ? Procure um revendedor. Não resolveu ? Faça pelo sítio da montadora, no Reclame Aqui.

Em resumo
É sintonizado com os concorrentes. Mais moderno que Caoa Tucson e Chery Tiggo e, pelo preço, mais equipados que Ford EcoSport e Renault Duster. Não é alemão em folgas, ajustes e alinhamentos, mas é um nível superior aos chineses que conhecemos.
A Lifan diz-se a maior exportadora do setor; tem fábricas em sete países, operação em 70, e tem grandes planos para a América Latina, incluindo fábrica de motores no Uruguai. Quer, em 2015, fazer 40 mil veículos ano.
Neste exercício, vender 400 unidades mensais pelos atuais 26 revendedores.
Terá garantia real – não é seguro bancário –, de cinco anos e atendimento de socorro 24h ao dia. Yin Mingshan, fundador, CEO, diz focar em serviços e entende que consertos devem tomar, no máximo, 24h.
A empresa, pequena em 60 funcionários, é liderada localmente pelo experiente José Roberto Favarin, ex diretor da GM no Brasil, de onde trouxe equipe de vendas e serviços. A Lifan, como dito, está num patamar evolutivo.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
X60, nova cara da Lifan, chinesa em evolução
---------------------------------------------------------------------------------
Roda-a-Roda
Prêmio – Chamando-o Beleza Triunfante, a revista alemã Auto Bild deu título ao novo Mercedes CLA eleito por seus leitores como o carro mais bonito da Alemanha.  O automóvel, de novo segmento criado pela Mercedes para conquistar clientes de menor faixa etária, será produzido no Brasil – como a Coluna antecipou em outubro.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Lamborghini Egoista – dizem, design pelo Batman. 
----------------------------------------------------------------------------------
Claro – Para comemorar seus 50 anos, a Lamborghini fez protótipo, unidade única, apenas para o condutor – ou piloto. Nada divulgou sobre mecânica, mas pode perfeitamente calçar um motor W16 de Bugatti e cavalaria acima do milhar. O nome é auto explicativo: Egoista. Ver também photos growing Egoista collection on Instagram.
Direção – Jaguar após lançar a linha F Type 2014 foca ampliar mercado e clientela, e re inicia traçar ligações com corridas. Terá equipe na Mille Miglia, mais prestigiosa das provas para veículos antigos: três C-Type – um do penta campeão mundial Juan Manuel Fangio -, e um XK 120 – com um destes o agora Sir Stirling Moss ganhou e traçou caminhos. Além dos antigos, cinco novos F Type para apoio e charme. Maio, 16 a 19.
Exceção – Quando a Suzuki deixa o mercado estadunidense e a Mitsubishi revê suas contas, a Subaru quer fabricar mais 30% em Lafayette, Indiana. Lá produz o Impreza. Negócio de US$ 230M.
Negócio – Prevista para 2016, a ampliação permitirá equilíbrio menos tensional com produção de 100.000 unidades/ano.
Traseira – A GM estuda a volta de esportivo pequeno, tração traseira, motor 4 cilindros em linha, turbo, e V6 aspirado, peso máximo de 1.250 kg. Reconhece, não deveria ter matado o Pontiac Solstice. Mas crise é crise, e na GM em 2009 valia tudo, incluindo apequenar-se, dando fim às divisões Pontiac e Saturn.
Patrocínio – Alfa Romeo divulga patrocinar o circuito de Monza nos próximos anos. Será sede de eventos e nas provas fornecerá Safety e carros de serviço.
O Safety Car é desenvolvido sobre o novo MiTo SBK Limited Edition, 1.4, 170 cv, vendida em 200 unidades.
RAV2 – Repetindo o passado a Toyota vende o modelo RAV4 com tração nas duas rodas. Contrassenso ao nome, que significa Veículo Recreacional com tração nas 4 rodas. Devia, por honestidade, chamá-lo RAV2.
Conforto – A Fiat estendeu aos Palio Essence, Sporting, e ao Grand Siena Essence com o motor 1.6, 16V, a opção da transmissão com Dualogic Plus. O sistema automatizador, o melhor do país, dá aos motoristas o conforto de uso das transmissões automáticas, custando e gastando menos que estas.
Promessa – Mesma Fiat flexibilizará o motor 1.4 MultiAir, hoje no mexicano modelo 500. Diferença ao 1.4 feito aqui é o cabeçote, e aí está toda a diferença. O sistema gere admissão de ar, aumentando performance, diminuindo consumo e emissões. Integrará a grande mudança de produtos que a Fiat inicia engrenar.
No nariz – Especialista Gabriel Rossi diz, o marketing olfativo é cada vez mais explorado pelas marcas. Associando um aroma, agradando o consumidor, instiga fidelizar-se. Mas exige sensibilidade. Errou o aroma, repulsa o cliente.
Urubu – Em 1976 fotógrafa Claudia Andujar pegou um VW 1300 preto, apontou-o para Roraima, andou 16 dias e foi-se às aldeias Ianomâni. Viagem documentada e exposta até 30/6 na Galeria Vermelho, rua Minas Gerais, 360, S Paulo – SP. Chama-se “O Vôo do Watupari” – urubu em Ianomâni.
Retífica RN – Coluna passada informou, o Audi RS4 Avant, super station com motor 4.2, e comportamento esportivo, produzia 450 cv com auxílio de turbo. A Audi diz ser por aspiração normal. Competente.
Patamar – Assim, se o motor Audi produz 450 cv em 4.2 litro de deslocamento significa, a cada 1.000 cm3 fabricar 106 cv, com aspiração atmosférica. Outros bons VW, como o Tiguan, o Jetta, o Passat CC, e Audis de 4 cilindros, produzem em torno de 100 cv/litro, com turbo. É novo patamar de desafio em engenharia.
Imprensa – Vi, em Brasília, o Vrum, programa de automóveis da TV Alterosa, transmitido pelo SBT. Irretocável, como sempre, e como das boas referências no setor. Entretanto sem anúncios nacionais ou locais do tema automóvel.
Sensação – Falta de patrocinadores sugere, Alterosa e/ou SBT não tem interesse sobre o programa, não indo ao mercado para captar anunciantes. E, a continuar assim, sem anúncios que paguem a conta, sugere o pior – acabar com o bom Vrum.
Marco – Revista Automotive Business fará edição especial sobre os 20 Milhões de carros Flex no Brasil.
Não, não, e não ! – Aparentemente foi o que o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, muitas empresas em torno da representação da Hyundai de automóveis, ouviu à sua aspiração de tornar-se banqueiro através do Banco BVA.
Não !! – Credor da instituição, o Dr Caoa propos fórmula criativa: pagaria aos credores 35% do valor de suas aplicações e outros 35% com operações do banco. Não conseguiu o percentual mínimo de adesões. O dr Caoa é bem conhecido na praça.
Óptica – Razões desconhecidas, o FNM JK, depois 2.000 e 2.150, assim como seu derivado e sucessor Alfa Romeo 2300 não instigam colecionadores, apesar de preencherem as características exigidas para tanto, a começar pela mecânica à frente de todos seus coetâneos.
Foco – Uma das mais referenciais coleções de Alfa em todo o mundo, a do cirurgião Axel Marx, em Lugano, Suiça, reúne, dentre os mais relevantes modelos, três brasileiros: FNM 2150; e Alfas 2300 e o Rio, aqui produzido embora desconhecido pois destinado a exportações.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Alfas brasileiros, coleção suíça. Exemplo
-------------------------------------------------------------------------------------------------
Gente – Antonio Sérgio Rodrigues, engenheiro, mudança. OOOO Sai da Fiat para a Hyundai – a original -, onde coordenará pré vendas e concessionárias na distribuição dos atuais HB20. OOOO.


DOMINGO TEM PÁTIO DO MARAZZI EM SAMPA!

ALTA RODA COM FERNANDO CALMON








Alta Roda nº 733 — Fernando Calmon — 14/4/13




EXPORTAR IMPORTA MUITO




Exportação parece um tema sem grande importância para quem compra um automóvel produzido no Brasil. No entanto, esse é um motivo de preocupação. Afinal, o que dá grau de competitividade à indústria automobilística de um país é o seu nível de produção. O País é o quarto maior mercado do mundo e apenas o sétimo maior produtor, justamente por ter perdido sua capacidade de exportar.
Impacto positivo das exportações significa aumento de escala de produção. Isso, frequentemente, viabiliza tecnologias sensíveis a volume, em especial as maravilhas da eletrônica de bordo para segurança e conforto, além de melhorias de qualidade. No novo regime automobilístico Inovar-Auto estão contemplados investimentos fortes em pesquisa e inovação, mas não há objetivos claros para o mercado externo. Luiz Moan Yabiku Jr., novo presidente da Anfavea, coloca como bandeira de sua gestão a recuperação das exportações até 2017.
Ter produto com bom preço no exterior passa, obviamente, pela cotação do real. Tanto que em 2005, com câmbio favorável, quase 900.000 unidades (montadas e desmontadas), 35% da produção anual, deixaram os portos. No ano passado, apenas 470.000 unidades saíram do país, 14% do produzido. A meta para daqui a cinco anos é exportar 1 milhão de veículos (20% da produção). Seria um incomum cenário de equilíbrio: 5 milhões de unidades em vendas internas, 5 milhões produzidas, 1 milhão de veículos exportados e o mesmo tanto de importados.

ALFA ROMEO EM CAXAMBU NO FM DO MES


De 30 de maio a 02 de junho, a cidade de Caxambu, no sul de Minas Gerais, sediará o II Encontro Alfa Romeo, evento que reunirá os alfisti (nome em italiano dado aos apaixonados pela marca) de todo o Brasil. Promovido pelo Alfa Romeo Clube MG, representante regional do grupo Alfa Romeo Br - maior grupo alfista do Brasil, o evento será realizado no Parque das Águas, maior atração turística da cidade de Caxambu e no Hotel Glória. A primeira edição do encontro foi realizada em 2011 e reuniu aproximadamente 80 carros.