segunda-feira, 29 de outubro de 2012

domingo, 28 de outubro de 2012

MIL KM DE DKW: BLUE CLOUD

Existe algo de perverso em uma viagem enorme em um verdadeiro anacronismo rodante de 50 anos de idade com um motor de dois tempos, 1.000 cm³ e 50 CV....Minhas homenagens aos gaúchos que foram tão longe em seu amor pelos fumacentos, acelerando nas estradas! 



Os carros funcionando no Parque das águas de Caxambu, inclusive um raríssimo (no Brasil) Wartburg Alemão Oriental de um famoso jornalista de Stalingrado...

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

ALTA RODA COMFERNANDO CALMON




Alta Roda nº 704 — Fernando Calmon — 23/10/12



RESPEITO ÀS DIFERENÇAS




Interessante constatar como os fabricantes mudam suas estratégias mercadológicas e técnicas de continente a continente. Marcas europeias e orientais, por exemplo, tratam de desenvolver modelos com dimensões generosas para vender nos EUA. Atender a cultura do segundo maior mercado do mundo (só perdeu a liderança para a China há três anos) implica fazer concessões ao peso do veículo e maior consumo de combustível em troca de espaço interno.
Isso está mudando porque a gasolina encareceu nos EUA e o governo estabeleceu metas rigorosas de economia para os próximos anos. A Ford foi das primeiras a reagir. Deu uma guinada a fim de procurar aproximar ao máximo possível todos os novos projetos mundiais, pois consumo de combustível e emissões de CO2 são irmãos siameses.
O novo Fusion demonstra os novos tempos. Esse sedã médio-grande, em exceção parcial àquela regra, era um pouco menor que a sua contraparte vendida na Europa com o nome de Mondeo. Agora, cresceu cerca de três cm em comprimento, largura e altura. Estilo e dimensões são os mesmos dos dois lados do Atlântico.

DIA 3 TEM RALLY!


É  a etapa final do Campeonato Brasileiro de Rally Histórico e eu vou estar lá!



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O SALÃO DO ANHEMBI EM FOTOS INICIAIS

Um Salão cada vez mais internacional em nível de produtos e mais eclético na variedade, o Anhembi está uma verdadeira festa para quem gosta de automóvel, Desde os carros até as mocinhas mais belas do país, ali está a felicidade.... Vai até Domingo que vem é é imperdível  Esta é a apresentação inicial do MP, porém teremos mais ao longo desses dias. Clique nas fotos para ampliar. Você que é nosso leitor receba esta homenagem do Mahar Press, que está em QUARTO lugar no Top Blog graças aos seus votos. Vamos espalhar a matéria da cobertura por suas listas de amigos e chegar à finalistas! 

 O Chevrolet Onix vai ser objeto de uma matéria mais apurada no começo da semana que vem, quando vamos andar nele. Por enquanto temos a dizer que gostamos da adoção da plataforma mais elaborada do Corsa II, que tem subchassi na dianteira, e da democratização do agradável e eficiente cambio automático de seis marchas que a marca vem implantando no nosso mercado em quase toda sua linha.

o novo Fiat 500 Cabrio, com capota elétrica e uma boa estrutura para firmar a marcha

Uma nova versão mais ou menos aventureira do HB20, om carro que veio para balançar o barco da industria automotiva brasileira

Finalmente a VW apresenta o Gol Geração 5 com duas portas: muito bonito!
 A reestilização do Reanult Clio vai ser avaliada no dia 14 de Novembro
 O novo Ford Fusion perdeu seu excepcional motor V6 3 litros no altar do sacrossanto downsizing, a diminuição dos motores, e do menor consumo de combustível, mas vai ter um belo quatro cilindros dois litros turbo de 240 CV, 38 quilos de torque e tração nas quatro rodas.
 Umas nova cara para o Fiesta, um dos melhores contendores do seu setor de mercado. Bela face com o bocão Aston Martin!

Chegou a nova Trailblazer, substituta do Blazer,o velho e  tradicional SUV da GMB. Agora não há mais a versão de quatro cilindros flex e 2,4 litros. Só um Diesel da S10 e um V6 a gasolina derivado do montado na Captiva. Tem suspensão independente na traseira, o que deve ser um grande avanço no comportamento dela.


O novo Peigeot 208

A Classe B 200 Mercedes com motor 1,6 turbo

VW Taigun: um protótipo de Mini SUV da VW com o novo motor de três cilindros injeção direta e turbo com 110 CV

O Renault Twizzy, o futuro da mobilidade urbana nesse mundo cada vez mais congestionado

O novo Fusca, substituto do New Beetle

DE CARRO POR AÍ COM O NASSER





: edita@rnasser.com.br             
Fax: 55.61.3225.5511

Coluna 4312 24.outubro.2012

O Salão da Maioridade


Com o desenho de mostra divulgadora e fomentadora da indústria automobilística brasileira, o chamado Salão Internacional do Automóvel completa 52 anos. Demorou mas ascendeu a patamar diferenciativo em sua história: o de evento de respeito internacional.
A conquista não é pela festa, montagem, expositores, mas pela atividade que representa, a indústria de veículos e de auto peças. Hoje, quarto mercado do mundo, óptica internacional o vê como amostra desta atividade, reflexo da saúde econômica do país, liderança continental em cenário de expansão crescente.
Internacionalmente o Salão brasileiro cresceu de posição no quadro das mostras mundiais. Agora é B+, uma linha superior, abaixo apenas dos salões de Frankfurt, Paris, Genebra.
Boa medida para mensurar a importância foi a realização pela Volkswagen de workshop sobre Economia Brasileira, Sustentabilidade e VW na América do Sul, com direito a palestra de Henrique Meirelles ex presidente do Banco Central no governo passado. A Volkswagen, em crescimento sustentado e superior a seus concorrentes, quer ser a maior montadora do mundo em 2018, e cuida de seu projeto institucional pelo esclarecimento aos vetores formadores de opinião. Trouxe 150 jornalistas especializados dos mercados de seu interesse, Europa, Ásia, Américas para dar-lhes uma aula de Brasil – ou justificar numericamente porque o Brasil é a bola da vez em investimentos. À noite fez festa descontraída, a Group Midia Night, com depoimento dos executivos maiores de sua dezena de marcas, e a presença da imprensa internacional. A VW só a realiza antes das três mostras europeias e incluir o Brasil é dar aviso mundial de relevo. Tratou o negócio como o faz na Europa em eventos onde vai sua diretoria maior. No caso, para ser à prova de erros, traz tudo da matriz: recepcionistas, crachás, clips, fitas adesivas, coordenadores, 150 pessoas vindas da Alemanha para a montagem e o rolar das festas, incluindo o amplo stand da marca no Salão. Nele, dizia-se, apenas a montagem teria custado R$ 40M.
Outra medida mais ampla, nesta edição haviam CEOs, presidentes, vices mundiais, sem trocadilho pobre,  em quantidade industrial.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

ALFA ROMEO 33 STRADALE...

NON SI FANNO PIÚ VETTURE COMME IERI...LA MACCHINA PIÚ BELLA DEL MONDO!
EM ARESE, EM FRENTE AO MUSEU EM UMA SESSÃO DE FOTOS:



COMO VAI SE CHAMAR O PNEU SEM AR?

SIM, PORQUE PNEUMOS É UMA PALAVRA GREGA QUE SIGNIFICA CHEIO DE AR....






A INTERNET NAS NUVENS POR FERNANDO CALMON


INSTRUMENTOS DE VENDA AVANÇAM

Por Fernando Calmon
A internet veio para ficar, como ferramenta quase indispensável, para ajudar o comprador a pesquisar preço, opções de pagamento e “montar” o carro a seu gosto, além de fazer comparações dentro da enorme gama oferecida hoje no mercado brasileiro, estimada em mais de 400 modelos. Não há dados precisos, mas se acredita que até 90% das pessoas, nos centros urbanos, façam pelo menos uma consulta nos sites dos fabricantes e de concessionárias, antes de se dirigir às lojas.

sábado, 20 de outubro de 2012

QUADSKI BY JLV


Um anfíbio indiano
Mistura de carro e moto, o Quadski indiano está em seu elemento na terra e na água. Depois do Amphicar alemão da década de sessenta, pouquíssimos anfíbios foram colocados em mercado – a maioria deles caríssimos, de pouquíssima venda e curtíssima vida em mercado.

Agora a Gibbs Sports Amphibians, de um certo Alan Gibbs, ex-diplomata e atual empreendedor neo-zelandês, lança o Quadski dizendo que ele é o primeiro anfíbio leve capaz de passar dos 16 km/h na água, devido principalmente a seu baixo peso, construção em fibra de carbono e rodas dianteiras que se retraem ao entrar na água. Alan, que já fez aparelhos de TV, investiu US$ 200 milhões na idéia, construiu nove protótipos e recebeu mais de 300 patentes nos últimos 16 anos. Ele diz que “Você simplesmente dirige direto à água, bem rápido, e continua de pé em baixo. Quase uma mágica.” Fazer o veículo “Parece tão simples, mas na realidade é bem difícil.”


O Quadski não é seu primeiro veículo, que foi um Aquada de três lugares em 2003 e que fazia 160 km/h na terra e 48 km/h na água. O CEO do Grupo Virgin, Rochard Branson, o usou para estabelecer um recorde de velocidade da travessia do Canal da Mancha no ano seguinte. O Aquada, porém, nunca foi comercializado, já que seu fornecedor de motores, a Rover, faliu. Outro grande problema foi a negativa do governo americano em aprová-lo sem que o veículo tivesse um airbag – Gibbs argumentou sem sucesso que cada vez que o Aquada batesse de frente numa onda grande, o airbag entraria em funcionamento.




O Quadski tem menos problemas legais, já que é mais moto do que carro, e será vendido nos estados da Florida e Texas, no corredor de Nova York a Boston e na região dos Grandes Lagos. Ele vai ser feito na ex-fábrica de peças do Grupo nipônico Daewoo, no estado de Michigan, e Gibbs espera vender mil unidades no primeiro ano. Paralelamente Gibbs espera apresentar também dois outros veículos, o Phibian de nove metros e 6,5 toneladas e o Humdinga de 6,6 metros e 3,5 toneladas, ambos destinados primariamente a aplicações militares.

PUNTA TACCO COM ROBERTO AGRESTI





Excesso: só de velocidade?




















Vista como grande pecado pelas autoridades de trânsito, ela está longe de ser a única causa expressiva de acidentes e de vidas perdidas








O especialista em trânsito, entrevistado pelo jornal da noite, foi taxativo: a principal causa dos acidentes nas estradas é o excesso de velocidade. A CET, a polêmica Companhia de Engenharia de Tráfego da cidade de São Paulo, sustenta que a redução do limite de velocidade de boa parte das avenidas paulistanas de 70 para 60 km/h tem como principal objetivo a redução de acidentes.




Velocidade é, certamente, um tema polêmico. A brutal constatação prática de que uma colisão de um veículo contra um obstáculo fixo a meros 50 km/h pode, na maioria dos casos, causar a morte de um ser humano é real — e aterrorizante.



Quando viajamos nas melhores rodovias do país, manter os 120 km/h permitidos pode parecer maçante. Quem já passou dos 40 ou 50 anos de idade lembra bem quando o limite de velocidade nas rodovias do Brasil era menor, mas a permissividade, maior. Em vez do radar, da vigilância eletrônica, o vigilante rodoviário em carne e osso. Postado em lugar estratégico, punia alguns enquanto a maioria se safava. Época de carros bem menos potentes e seguros que os atuais, quando viajar pelo Brasil parecia paradoxalmente algo menos arriscado, e certamente era mais veloz.

De São Paulo ao Rio em algo menos do que quatro horas (com paradas), de Santos a São Paulo em 45 minutos (subindo pela Anchieta!) são frases que ouvi, criança e adolescente, nas rodas de adultos dos almoços de domingo. Se tive a chance de tentar tais atraentes insânias não vem ao caso.

Vem ao caso, sim, atribuir unicamente à velocidade excessiva a causa de acidentes, uma simplificação mais do que indevida, e que leva a uma visão blindada sobre segurança de trânsito. Resumir algo tão complexo como a segurança em ruas e estradas ao postulado veloz = inseguro, lento = seguro é algo primário, redutivo, que desconsidera fatores muito importantes para a segurança de todos os usuários de veículos automotores — sejam eles motoristas ou passageiros —, assim como dos circunstantes pedestres.


COMÉDIA: UAI, EXPLODIU?





sexta-feira, 19 de outubro de 2012

DA SÉRIE" SEU JIPINHO É DE MOCINHA"?

300 MIL LIBRAS, OU 500 MIL DÓLARES, NOVE TONELADAS, 280 CV, 120 KM/H.
UMA DELICADEZA DE VEÍCULO PARA QUEM MORA EM CERTOS LUGARES DO RIO OU SÃO PAULO...



OU SEU IRMÃOZINHO MAIOR, QUE VEM COM O PACOTE OPCIONAL DE METRALHADORA DE TETO....MESMA MECÂNICA MAS DUAS TONELADAS A MAIS, PRA FIRMAR MELHOR OS TRABALHINHOS...





Alta Roda nº 703 — Fernando Calmon — 16/10/12 


DA PESQUISA À PRÁTICA 






Congressos e seminários técnicos que integram os calendários anuais de eventos da indústria automobilística passam a desempenhar um novo papel. O regime Inovar-Auto, criado pelo governo para o período 2013-2017, mas que certamente irá além, estimula pesquisas no País. Aqueles fóruns deverão focar também no que estiver ao alcance do bolso dos motoristas. O Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva (Simea 2012) teve sua pauta estudada, como sempre, com antecedência a fim de atrair trabalhos técnicos e palestrantes. O tema desse ano – transporte e trânsito mais sustentáveis – centrou-se em problemas de infraestrutura com ênfase na ampliação do transporte urbano sobre trilhos. São Paulo, maior cidade do país, tem apenas 74 km de metrô, porém dobrará sua extensão em quatro anos. Alternativa do monotrilho suspenso, solução mais barata e rápida de construir, adicionará 64 km. Estudos indicam que dois terços dos motoristas trocariam automóveis pelo transporte público confiável, confortável e rápido. Redução de acidentes também foi abordado no Simea 2012. Fabricantes no exterior trabalham com o conceito de segurança integral: freios inteligentes e sinalização de alerta capaz de detectar motociclistas e ciclistas nos pontos cegos dos veículos. O XXI Congresso da SAE Brasil, no início de outubro e uma semana após o Simea, conseguiu adaptar algumas pautas ao iminente anúncio do novo regime automobilístico.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O RALLY DO CAFÉ COM LEITE VEM AÍ!

Aproxima-se a ultima etapa do Campeonato Brasileiro de Regularidade Histórica, realizado nas maravilhosas estradas do Sul de Minas e sediado no Hotel Serra Verde, em Pouso Alto, um hotel fantástico. Tire seu clássico da Garagem e venha ter o máximo de prazer que se pode ter com um motor antigo funcionando!


MINI COBRA ARGENTINO


Para meninos até uns doze anos que já tem tudo, esse é o presente de Natal... O endereço do fabricante está no vídeo, ao final. Tem um motor elétrico de 2,7 CV acoplado ao eixo traseiro rígido, suspensão dianteira independente, carroceria em fibra e interior em chapa de alumínio. 
Com o motor original pode andar a 25 km/h, mais ou menos igual a um carrinho de golfe, do qual é parente próximo  Custa na Argentina 125 mil pesos, mais ou menor 63 mil reais. Iria ser o sucesso em um condomínio... Ainda mais que dá para fazer várias maldades com motor e baterias...
vídeo da construção apuradíssima:


saiu no autoblog.com.ar

MERCEDES RODDER

Até que enfim algo diferente nesse ramo...muito legal. Atente para o Volante de Ponton.


DE CARRO POR AÍ COM O NASSER







 edita@rnasser.com.br             
Fax: 55.61.3225.5511


Coluna 4212 17.outubro.2012


Automóveis Mercedes voltarão ao Brasil – pela Nissan
Um entendimento de meios e sinergias traçado entre a Aliança Renault-Nissan e a Daimler – dona da marca Mercedes – dará novo contorno à indústria automobilística. Consequências mundiais e reflexos no Brasil. Aqui a marca Nissan venderá serviços de montagem para um automóvel de marca Mercedes. No exterior a Mercedes produzirá um carro de luxo para a Renault, a partir de desenvolvimento sobre um modelo Infinity, a marca de luxo da Nissan. E a Renault fará a próxima geração do Smart, o filho não assumido pela Mercedes, sobre a plataforma do Twingo geração 3.
Neste automóvel, outras duas consequências do acordo de sinergias: nova geração de motores, cuja amostra aparecerá no Salão do Automóvel em versão 1.6 sob o capô do novo Mercedes Classe B. Ele é base para produto a ser utilizado nas três marcas: pouco peso, limitado volume, cilindradas de 1.3 e 1.5, duplo comando de válvulas, injeção direta, turbo compressor, potência a partir de 150 cv, abundante torque em baixas rotações, baixas emissões. E uma nova transmissão automática, construída pela JATCO para a Nissan, com tecnologia Daimler, procurando sede para ser construída – México bem cotado.
Em menos de dois anos do entendimento, os passos concretos vão rápido, cobrados pelos executivos maiores de ambas as marcas, Carlos Ghosn pela Aliança e Dieter Zetsche pela Daimler, e sinalizam que novos projetos podem ser adotados.

Aqui
Fontes das empresas se esquivam, mas não se atrevem a negar as informações de haver definição de produto, e revendedores de automóveis da marca esfregam as mãos. Afinal, o projeto se enquadra na nova legislação federal, e o desde a autorização a Mercedes poderá importar sem pagar o adicional de 30 pontos sobre o IPI.
A fábrica que mudará a feição da Nissan no Brasil está em construção no município de Rezende, RJ, beirada da Via Dutra, quase na divisa entre São Paulo e Rio de Janeiro. Será acabada em 2013 e quer fazer 200 mil unidades em 2014. Para preencher projetada ociosidade industrial a união nipo franco germânica acertou fazer um Mercedes para o Brasil. Ainda não há, ou a Coluna não conseguiu descobrir, individualização do produto.
O mercado afirma ser Mercedes, PO, com origem e pedigree, como o Classe C, aqui o mais vendido da marca e, se produzido localmente, será o único do segmento, projetando-se preço abaixo dos concorrentes. Mas pode ser novidade, como o Classe A, ou iniciativa comum, dividindo plataforma e mecânica, diferenciando-se apenas na carroceria.
O método não está definido, se será compra de serviços à Nissan, ou uma operação Mercedes-Benz sob teto alheio. Mas que o Mercedes será feito em Rezende, não há dúvidas
-------------------------------------------------------------------------------------------------
União dará bons frutos. Mercedes no Brasil é um deles.
-------------------------------------------------------------------------------------------------

terça-feira, 16 de outubro de 2012

TWO WHEELS BRAZIL DIA 21 EM SBC

Salão Bike Show terá stand no Two Wheels Brazil em São Bernardo do Campo (SP)

O Salão Bike Show terá um stand exclusivo no Two Wheels Brazil - O Melhor Evento de Motocicletas Vintage da América Latina, que acontece entre os dias 20 e 21 de Outubro em São Bernardo do Campo (SP). O Two Wheels Brazil terá 30 horas de shows e apresentações, entre eles o de Marky Ramone, com sua atual banda Marky Ramone’s Blitzkrieg, com Michale Graves, ex-Misfits, no vocal. Além das bandas Raimundos, Chrome Division e o cantor Michale Graves, entre outros.

Além dos shows, o TWB vai contar com atrações como exposição de motocicletas e carros clássicos e customizados, camping, Hot Bike Girl (concurso da gata TWB), pistas de skate entre outras atrações. Serão dois dias com os maiores bikers builders do Brasil e do mundo. Para maiores informações basta acessar o site do evento:www.twowheelsbrazil.com.

O Salão Bike Show 2013 será realizado no Riocentro, o maior parque de exposições da América, entre os dias 24 e 27 de janeiro no Pavilhão 4, em uma área maior que a da edição passada. Mais uma vez o estacionamento será gratuito para motos e triciclos e nesta edição ficará mais próximo da entrada do pavilhão. 
Os ingressos já podem ser adquiridos através do site Ingresso Rápido(www.ingressorapido.com.br), com desconto para compra antecipada. Crianças com menos de 5 anos ou adultos com mais de 65 anos não pagam ingresso.

O Salão Bike Show 2013 conta com um site (www.salaobikeshow.com.br) onde o público pode tirar dúvidas sobre o evento. Além do site o visitante também poderá ficar sabendo das novidades através do blog (http://blog.salaobikeshow.com.br/), Twitter (http://twitter.com/salaobikeshow) e FaceBook (http://www.facebook.com/salaobikeshow) oficiais do Salão Bike Show.

O Salão Bike Show 2013 é uma realização da Indigo Brasil e tem como principais parceiros a montadora Octaplan, com o apoio da FMCRJ - Federação de Moto clubes do Rio de Janeiro e da AMO-RJ - Associação dos Motociclistas do Estado do Rio de Janeiro.

Serviço – 3° Salão Bike Show:
De 24 a 27 de janeiro de 2013
Local: Riocentro / Pavilhão 4 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ

OS MAVERICK DE CORRIDA DO APUZZO...



 SÃO PAULO (coisa doce) – Tem Maverick de corrida novo na área da Automodelli. O primeiro é o carro que ganhou as 25 Horas de Interlagos de 1975 com Bob Sharp, José Carlos Pace e Paulão Gomes. O preto é o da Copa dos Campeões disputada também em 1975 em Interlagos e Brasília, vencedor com o Moco. E o terceiro (amarelo #5) venceu, ainda em 1975, os 1.000 Km de Brasília pela Divisão 1.
Gostou, quer saber o preço, interessa? Direto com o Antonio Apuzzo no e-mail automodelli@automodelli.com.br, ou pelos telefones (11) 3532-4446 e 5093-0793.
SAIU NO FLAVIO GOMES:

OS 100 ANOS DO MOTOR DE ARRANQUE



Quando você entra no seu carro, aciona o motor elétrico que liga o motor do carro, acende os faróis, engrena o cambio automático e liga o ar condicionado, diga uma prece rápida pela alma de Charles "Boss" Kettering, o inventor ou desenvolvedor disso tudo.
Dono de mais de 140 patentes relativas a coisas como a incubadora para bebês prematuros ou o motor Detroit Diesel de dois tempos de uso ferroviário e depois  rodoviário, Kettering mudou o rumo do mundo automotivo.
Nos primórdios da mobilidade mecânica não estava bem definido se os veículos iam ser movidos a vapor, como as locomotivas, elétricos a bateria como até hoje, ou se iriam ser movidos pela queima de gasolina. O problema era , no motor a gasolina, um sistema de ignição que inflamava o líquido e causava a explosão que era muito rudimentar e antes colocá-lo para funcionar. Era necessário usar uma pesada manivela para girar o motor até ele “pegar”, coisa para homem forte e hábil no lidar com a máquina, pois o mínimo erro no ajuste da ignição podia causar um violento contragolpe ou retrocesso que podia quebrar braços.